Entrar

17 dicas para mulheres em viagens na garupa da moto

  • Categoria: Dicas
dicas para mulheres em viagens na garupa da moto

Você é uma mulher bonita, bem-humorada, inteligente, parceira e ama seu companheiro. E você pode ser tudo isto também na garupa de uma motocicleta. Moto não é sinônimo de perigo e desconforto. Para te mostrar isto, separei 17 dicas com pequenas atitudes para fazer você se sentir melhor em uma viagem de moto.

1Vista o equipamento correto
Capacete, calça, jaqueta, luvas e botas apropriadas, e em caso de chuva, capa de chuva. É sim um investimento, mas tudo na vida tem um dress code. Ou você vai a um baile de gala vestindo agasalho de moletom? No caso das viagens de moto, o motivo maior é a segurança. Não é porque você não está pilotando que deve ficar exposta a riscos e desconfortos. Tenha os equipamentos específicos para viajar de moto. Deixe a bota delicada e com salto para ser vestida quando você descer da moto e não for mais subir na garupa.

2Use uma boa jaqueta com proteções
As luvas, calças e botas de motociclismo têm proteções fundamentais para sua segurança. Vale uma atenção especial para a jaqueta, pois protege seus braços e principalmente seu tórax e todos os ossos e órgãos desta importante região. Existem muitas marcas com modelos lindos para mulheres, por exemplo: Spidi que tem corte italiano, clássico; Pharao que é uma marca alemã, com modelos ao estilo aventureiro; Fieldsheer, que tem preços ótimos; Olympia; Alpinestars e BMW. Se você for à Europa ou aos Estados Unidos, pode trazer de lá com preços melhores.

3Opte por Capacete escamoteável/articulado e no tamanho certo para você
Um capacete no tamanho certo para você é fundamental, firme e confortável. O articulado ou escamoteavel é a melhor opção. Você não precisará tirar ele toda vez que quiser falar e ser ouvida (e nós sabemos que você adora falar). Além disso, você enxergará seus bolsos, zíperes, poderá retocar a make ou protetor e etc., tudo isso sem tirar o capacete, bagunçar o cabelo e perder os brincos, bastará levantar a proteção do queixo. Mesmo com este capacete, não é correto levantar a viseira com a moto em movimento, principalmente a mais de 80 km/h. A viseira te protege de qualquer mosquito ou objeto que poderá vir da estrada.

dicas para mulheres em viagens na garupa da moto - Capacete

4Use buff durante todo o tempo em que estiver na moto
Este lenço em formato de tubo é a salvação da mulher motociclista. Ele é leve, fácil de lavar e secar, e ajuda a manter seu capacete limpo por dentro, já que não deixa seus cabelos em contado com o forro. A forma mais simples de usá-lo é colocando-o pela cabeça e só deixando seu rosto de fora. Nas paradas ao longo do percurso, você pode tirá-lo ou usar como tiara, lenço de pescoço, etc.

5Suba pelo lado esquerdo da moto
Sempre que for subir ou descer da moto, avise o piloto e espere a confirmação dele. Quando ele autorizar, suba ou desça pelo lado esquerdo, de forma sutil e delicada.
Um dos jeitos que funciona para descer, é levantar-se da moto, mantendo os pés nas pedaleiras, apoiando as mãos nos ombros do piloto, e contornando a perna direta flexionada para trás enquanto você gira seu corpo para direita no sentido horário. Como se descesse um degrau, coloque seu pé direito no chão, com você de frente para a moto, e depois retire o pé esquerdo da pedaleira. Para subir, você deve usar o mesmo método.

6Seja companheira do piloto
Não é porque você ainda não ama moto, ou está com medo, que você precisa tornar a viagem de vocês um pesadelo. Tente entender que ele também quer se divertir em segurança. Portanto, conversem para entrar em acordo sobre o que te incomodar.

7Curvas
O importante é manter seu corpo próximo ao dele, e seguir naturalmente o movimento do tórax dele, inclusive nas curvas. Nem pense em "consertar" as curvas, você pode causar um acidente.

8Segure-se, mas não seja um caixote
Para colaborar, com a segurança, enquanto estiver na moto, não se mexa muito ou bruscamente e não desconcentre o piloto. Mas, não precisa ser uma múmia, vale fazer um carinho sutil. Não fique "solta" na moto, batendo seu capacete a cada frenagem e se jogando para trás a qualquer aceleração. Segure-se com os dois braços na cintura dele, na perna, na alça de trás da moto, enfim, onde se sentir mais confortável e segura. Suas pernas também são fortes aliadas, esteja com os pés bem posicionados e sem atrapalhar os pés do seu companheiro. Seus joelhos podem ficar levemente pressionados no quadril do piloto, o que te ajudará a seguir naturalmente os movimentos do corpo dele. Se você estiver atenta à viagem, perceberá, inclusive, os momentos de se segurar mais, e poderá relaxar um pouco nas outras circunstâncias. Uma forma confortável, é segurar na cintura do piloto, e nos momentos de frenagens, se segurar na barra de trás para não empurrar o piloto para frente.

dicas para mulheres em viagens na garupa da moto

9Peça e aceite feedback
Seja uma boa garupa, pergunte ao piloto o que você pode fazer para melhorar, e se esforce para evoluir. Você também deve dar feedback, para tornar a viagem de vocês boa para ambos. Aliás, não se ofenda com o que o piloto disser e seja gentil ao dar suas sugestões. A primeira vez que estive na garupa por 1.000 km em um mesmo dia, achei romântico. Então, perguntei ao meu namorado "como foi levar sua namorada na garupa?", imaginava ouvir que "foi a realização de um sonho", mas ouvi que "você mexe muito". Enfim, é melhor dar risada.

10Não durma
Parece piada, mas há quem durma na garupa. Nunca faça isso! Se você perceber que está ficando sonolenta, deixe o piloto avisado. Peça para parar para um café, vá mascando chiclete, tire fotos, cante sozinha, enfim, não se entregue ao sono. Uma opção para as garupas mais sonolentas é a instalação de um intercomunicador no capacete dela e do piloto.

11Tire fotos
Em muitos momentos é possível fazer boas fotografias com máquinas compactas ou máquinas de ação, sem se mexer demais ou bruscamente. O cordão que segurar a câmera ao redor de seu pescoço pode ser grande o suficiente para você esticar seu braço. Assim, você conseguirá fotografar objetos em distâncias e alturas diferentes e até fazer uma selfie do casal na moto. Quando não estiver utilizando a máquina, guarde-a dentro da jaqueta ou no bolso da jaqueta.

12Use bem seus bolsos da Jaqueta
O uso varia conforme os hábitos de cada pessoa. Mas, sugiro manter escova e pasta de dentes no bolso da jaqueta. É possível também levar um sachê pequeno de protetor solar, rímel (à prova d'água para não virar a panda motociclista, etc.), colírio, lenço de papel ou lenço umedecido, perfume em embalagem de amostra, uma bala que não derreta, documento em um saco plástico fechado, dinheiro e cartão, entre outros itens que são sempre bons de estar à mão, principalmente para as paradinhas de estrada. Enfim, com moderação, mas faça dos bolsos da sua jaqueta a sua bolsa.

13Frio e segunda pele
A roupa que você usará por debaixo da jaqueta é quase uma roupa invisível, pois em uma viagem longa, a maioria das vezes você estará vestida com a jaqueta. Porém, a roupa que usará por baixo é fundamental para o seu conforto, ao mesmo tempo em que é uma roupa que desgasta e suja. Todos recomendam que se use uma segunda pele adequada ao clima que for encarar, ou seja, inverno ou meia estação. No caso do verão, você pode vestir uma camiseta. Pessoalmente, sou adepta de malas muito enxutas. Para facilitar isso, para os dias dedicados à motocicleta, visto alguma blusa de manga comprida ou curta que seja confortável, barata e velinha ou com algum defeito. Assim, após usá-la uma, duas ou três vezes, eu posso jogá-la fora sem muito remorso. E ainda aproveito o trapinho para limpar o meu equipamento.

dicas para mulheres em viagens na garupa da moto

14Capa de Chuvas
Jaquetas, calças, luvas e botas podem ser muito estilosas e confortáveis. Mas, infelizmente, capas de chuvas não são. De qualquer forma, tenha sempre calças e jaquetas impermeáveis no baú traseiro da moto. As capas de chuvas podem ser de marca ou mais simples, como as utilizadas pelos motoqueiros urbanos. Minhas sugestões são para não optar pelo macacão, pela complicação ao ir ao banheiro; e para que escolham cores bem chamativas, com o fim de reduzir a chance de que outros veículos não vejam vocês por causa da redução da visibilidade na chuva.

15Bagagem, quanto menos, mais conforto. Leve apenas o necessário
Para uma viagem de 20 dias, com cerca de 15 dias na moto e 5 dias de descanso, é possível fazer uma mala bem enxuta e leve.
Sugestões: óculos escuros; vestuário completo para moto; 15 pares de meia "descartáveis"; roupas intimas confortáveis para os dias na moto, podendo ser descartadas; roupas íntimas para os dias de turismo sem moto; para a estrada, 4 camisetas de manga curta e 2 camisetas de manga comprida simples (ou segunda pele), sendo cerca de 50% delas descartáveis; roupas para passeios diurnos nos dias livres, podendo ser 2 calças, 1 calçado confortável, 2 blusas, 1 agasalho leve, 1 ou 2 echarpes e 1 conjuntinho de bijuterias conforme roupas escolhidas; roupas para os jantares que podem ser 2 conjuntos de roupas e acessórios que você reveze conforme uso, neste item você pode levar um saltinho e apenas um agasalho para outono. Os acessórios, como as echarpes, são fundamentais, pois com eles você muda o visual, usando as mesmas peças de roupas.

16Nécessaire
A nécessaire é muito pessoal, porém, algumas dicas podem servir para muitas mulheres. Como a dica das embalagens leves, pequenas e descartáveis, para você reduzir a bagagem ao longo da viagem. Leve shampoo e condicionador em frascos calculados para os dias de uso, ou troque o condicionador pelas ampolas de hidratação. Uma dica boa é não se desfazer dos sachês de amostra de perfumes, protetor solar e hidratante, assim, você leva apenas as porções necessárias. Selecione as maquiagens que de fato você usará, dando preferência para as que sejam à prova d'água, pois podem ser utilizadas na moto também. Se for levar fixador de maquiagem, penteado, demaquilante e removedor de esmaltes, opte pelas embalagens de bolsa, que são bem menores. Se você é mais detalhista, não se esqueça da pinça, alicate de cutícula, lixa de unha e esmalte da cor que estiver usando. Por fim, é possível fazer uso de protetor diário de calcinhas, assim, pode levar um pouco menos de calcinhas.

17Aproveite
Independentemente do quão rigoroso o clima for, ou da sua adaptação, esforce-se para aproveitar cada segundo e experimentar este novo estilo de viajar. Delicie-se com as paisagens. Lembre-se que talvez você não tenha outra oportunidade de ver o mundo tão de perto e com tanta dedicação. Aproveite a chance e faça as fotos mais marcantes de sua vida.

E por favor, volte planejando a próxima viagem e convidando as amigas.

Cecília Mendes Barros nunca teve carro, apesar de ter habilitação de caminhão. Tem 30 anos, 25 de garupa, 15 como piloto e já pilotou por diversos países, sendo a única mulher brasileira a chegar pilotando em Nordkapp, ponto mais setentrional da Europa. É mineira, motociclista, Head de Captação de Recursos da Fundação Abrinq, advogada e viciada em adrenalina, esportes e viagens. Em 2008 foi premiada entre os 20 jovens de maior destaque na área social no Brasil, e em 2009 foi premiada como uma das 20 jovens que causaram maior impacto social no mundo.

Comentários (58)

  1. patricia vasconcellos

Oi Cecilia e equipe viagem de moto. tudo bem? Parabens pela materia!
Estou comecando um blog destinado as garupeiras. chama-se degarupa.com.br
gostaria de saber se posso reproduzir esta materia no blog, claro citando as fontes.
aguardo contato
muito obrigada
Patricia

  1. patricia vasconcellos    Cecília Mendes Barros

Obrigada Cecilia! Depois curte la.
abraco
Patricia

  1. Alexandre Mitiura

Cecília, excelente artigo, parabéns. Eu e minha esposa estamos a 30 dias de uma viagem de moto a Buenos Aires, depois Uruguai e retorno pelo sul do Brasil, passando pela Serra do Rio do Rastro. É a primeira viagem de moto com minha esposa e já mostrei seu post para ela, que adorou. Sobre as...

Cecília, excelente artigo, parabéns. Eu e minha esposa estamos a 30 dias de uma viagem de moto a Buenos Aires, depois Uruguai e retorno pelo sul do Brasil, passando pela Serra do Rio do Rastro. É a primeira viagem de moto com minha esposa e já mostrei seu post para ela, que adorou. Sobre as botas impermeáveis, já usei a Steitz, uma boa marca nacional com um preço justo. Já viajei com a minha Steitz e ela se comportou muito bem e não entrou água. Ela é toda de couro, com velcro e ziper lateral. É muito macia pra você andar bastante sem incomodar, embora acho que não deve proteger tão bem o pé em caso de quedas ou acidentes porquê não tem aquelas proteções laterais de metal que as botas de marca famosa tem. Deve ser de cano longo (até o meio da canela pelo menos) e a boca da calça impermeável ajustada/apertada na boca. Segue abaixo um link da bota feminina da Steitz. Comprei para minha mulher o modelo 4A ao preço de R$ 248,00 (base outubro/16). Abraço a todos
http://steitz.com.br/index.php?route=product/product&path=72&product_id=214

Ler Mais
  1. Alexandre Mitiura    Fernanda

Oi Nanda, já adicionei lá no Face e curti a página. Quando passar em Foz, me avisa. Uma excelente viagem pra vocês. Abração.

  1. Daiana Sodré

Cecília, seu post me ajudou bastante pois precisei comprar todos equipamentos pra uma viagem com meu marido e mais 2 amigos até o Ushuaia em março desse ano. Fomos numa VStrom 650 com 2 alforges de 37l e um bau traseiro: um alforge pra ele, um pra mim e o baú pra coisas de acesso fácil tipo...

Cecília, seu post me ajudou bastante pois precisei comprar todos equipamentos pra uma viagem com meu marido e mais 2 amigos até o Ushuaia em março desse ano. Fomos numa VStrom 650 com 2 alforges de 37l e um bau traseiro: um alforge pra ele, um pra mim e o baú pra coisas de acesso fácil tipo necessaire, oculos de sol, ferramenta pra moto, etc) e foi muito difícil escolher o que levar pois sabia que poderia pegar temperaturas próximas de 0º e não fazia ideia de que tipo de roupa era necessária pra aguentar o frio na moto. A propósito acho que no seu post faltou falar um pouco mais sobre essa questão de roupa pra climas de frio intenso (entre 0º e 5ºC), isto se caso você já pegou temperaturas assim. A questão do cochilar é coisa séria, na viagem a única forma de ficar acordada era tirar fotos com meu celular! O problema foi quando chegamos ao sul da Argentina, tirar as mãos das luvas era como enfiar a mão no congelador: o vento era incrivelmente gelado! Gostaria de deixar aqui uma opinião sobre botas para aquelas que vierem a ler este post: nesta viagem usei a bota Spidi XPD X-Style H2OUT que foi uma decepção muito grande! Numa viagem longa como a que fiz que durou 24 dias, a bota tem que aguentar pelo menos 300Km de chuva intensa, e após 150km meus pés estavam encharcados. A chuva foi no inicio daquele dia e a viagem teve 750km do Chuí até Criciúma, ainda bem que era o penúltimo dia de viagem porque no dia seguinte a bota ainda estava molhada. Meu marido usou a bota Tutto MOTO CRUISE, essa bota aguentou muito bem, passou quase nada de nada. Eu acredito que as botas cuja camada externa é toda de couro (a bota Spidi que usei tinha partes têxteis), são mais impermeáveis. Meu marido e eu estamos querendo ir em 2018 para o Peru, já estou estudando qual bota impermeável levarei dessa vez! Se você estiver lendo meu comentário e souber de bota impermeável que aguente mais de 500km de chuva, e que seja feminina, compartilha o modelo aí comigo!

Ler Mais
  1. Fernanda    Daiana Sodré

Obrigada Daiana... Já vou adicionar...
O meu problema na verdade não é o frio (eu acho, rsss)... não sinto muito frio mesmo parada na moto... Alias, sou extremamente calorenta... Me preocupo com o estar molhado... me falaram que entra agua nas botas até se forem impermeáveis se pegarmos muito...

Obrigada Daiana... Já vou adicionar...
O meu problema na verdade não é o frio (eu acho, rsss)... não sinto muito frio mesmo parada na moto... Alias, sou extremamente calorenta... Me preocupo com o estar molhado... me falaram que entra agua nas botas até se forem impermeáveis se pegarmos muito tempo de chuva, e se molhar não devem secar de um dia para o outro... vou te encher no face já já, rsss! Bjs

Ler Mais
  1. Priscila

Olá Cecília, como está?
Adorei o espírito aventureiro, já é mais uma inspiração para minhas futuras andanças de moto...rsrs.
Vc aí com 30 e já viajou até a Europa e eu aqui com 30 começando a engatinhar, rsrsrs.
Brincadeiras a parte, o que vale mesmo é a paixão recíproca pela liberdade, duas...

Olá Cecília, como está?
Adorei o espírito aventureiro, já é mais uma inspiração para minhas futuras andanças de moto...rsrs.
Vc aí com 30 e já viajou até a Europa e eu aqui com 30 começando a engatinhar, rsrsrs.
Brincadeiras a parte, o que vale mesmo é a paixão recíproca pela liberdade, duas rodas e vento no rosto.
Gostaria de saber se você chegou a registrar essas suas viagens em algum blog ou algum outro local público?
Seria muito legal se você passasse mais dicas, agora, como piloto.
Um abraço e vida longa!

Ler Mais
  1. Priscila    Cecília Mendes Barros


Obrigada por responder Cecília.
Já anotei aqui (NordKapp), rsrrs e Euromoto
Vou ver se encontro sim lá no face.

Gratidão!

  1. RodrygoXT

Muito bacana o conteúdo voltado para "elas"... Dei risada alta quando li o trecho que dizia: ".. imaginava ouvir que "foi a realização de um sonho", mas ouvi que "você mexe muito"" De fato, as vezes nós homens somos meio insensíveis. Achei muito válida a dica de meia e peças íntimas serem...

Muito bacana o conteúdo voltado para "elas"... Dei risada alta quando li o trecho que dizia: ".. imaginava ouvir que "foi a realização de um sonho", mas ouvi que "você mexe muito"" De fato, as vezes nós homens somos meio insensíveis. Achei muito válida a dica de meia e peças íntimas serem programadas para aos poucos durante a viagem serem descartadas. Outra dica de ouro, foi a de usar a JAQUETA como BOLSA.
Obrigado por dispor atenção nesse artigo para quem ainda planeja viajar para longe de casa..
Abraço de Curitiba.

Ler Mais
  1. Cecília Mendes Barros    RodrygoXT

Olá Rodrygo, eu quem agradeço pela oportunidade de compartilhar com vocês.
Um grande abraço e muitos kms para tod@s nós!

  1. paulo noronha

Boas dicas to pensando em comprar uma moto pra fazer essas aventuras!

  1. Givanildo Cirilo de Souza

Que Deus proteja a todos os bons motociclistas e seus acompanhantes. Que procurem sempre um bom médico, e que Deus sempre os livre de uma labirintite, amém !

  1. Sinomar Godois Tavares

Protagonista de A Garupeira, também dorme na garupa. Vejam no texto abaixo.

Chegamos à Bahia Inglesa, um povoado balneário espremido entre o deserto e o mar, muito bonitinho, cuja água era totalmente dessanilizada e um calor infernal. A passagem foi rápida e logo estávamos rodando novamente...

Protagonista de A Garupeira, também dorme na garupa. Vejam no texto abaixo.

Chegamos à Bahia Inglesa, um povoado balneário espremido entre o deserto e o mar, muito bonitinho, cuja água era totalmente dessanilizada e um calor infernal. A passagem foi rápida e logo estávamos rodando novamente numa estrada absolutamente lisa e negra. O único inconveniente era o calor e a repetição da paisagem: areia, areia e areia.
As grandes retas e o visual ondular do deserto causavam-me sono a ponto de cochilar e acordar pelo barulho do meu capacete batendo no capacete do companheiro. Algumas vezes ele nem ficava sabendo, aliás, nem acreditava quando lhe contava.
Sabíamos que a partir da Bahia Inglesa teríamos aproximadamente quinhentos quilômetros para chegar à próxima cidade, mas, por falta de pontos de referências no mapa, e na estrada, não sabíamos onde estávamos. Para amenizar o sofrimento, parávamos no acostamento a cada cem quilômetros rodados e fazíamos cálculos através do odômetro.
Já era noite quando enxergamos as luzes de Antofagasta, única cidade depois da Bahia Inglesa; porém a felicidade de ver as luzes foi gradativamente diminuindo à medida que a cidade não chegava. Rodava, rodava e o cintilar urbano continuava com a mesma intensidade. A demora podia ser real, devido à horizontalidade da região e a limpidez da atmosfera; ou emocional, em razão da fome, do sono e do cansaço.

Adquira o livro apenas R$ 45 e parcela pelo cartão. Entrem no site www.agarupeira.com.br

Vejam alguns elogios ao livro no blog http://garupeira.blogspot.com.br/

Obrigado

Ler Mais
  1. RodrygoXT    Sinomar Godois Tavares

Olá Sinomar,
Vou procurar esse livro e presentear minha "esporupa" (esposa + garupa) para encoraja-la mais a partir em viagens nesse life style.
Obrigado pela dica do livro. Abrass de Curitiba.

Seja o primeiro a comentar este artigo.
Carregar Mais

Deixar seu comentário

Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Characters
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização