• Dicas
  • Publicado em:

É permitido andar de moto no corredor?

Nas grandes cidades brasileiras, como Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo, é comum ver motociclistas circularem pelos corredores de trânsito, que são os espaços existentes entre as filas de carros. Tem muita gente que fala que isso é proibido e outras pessoas dizem que não. Afinal, é ou não permitido andar no corredor com uma moto?

Quando o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), foi aprovado pelo Congresso Nacional, havia nele o artigo 56, que proibia expressamente as motocicletas de circularem nos corredores, mas esse artigo foi vetado pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso.

A justificativa para o veto foi a seguinte:

Ao proibir o condutor de motocicletas e motonetas a passagem entre veículos de filas adjacentes, o dispositivo restringe sobre maneira a utilização desse tipo de veículo que, em todo o mundo, é largamente utilizado como forma de garantir maior agilidade de deslocamento. Ademais, a segurança dos motoristas está, em maior escala, relacionada aos quesitos de velocidade, de prudência e de utilização dos equipamentos de segurança obrigatórios, os quais encontram no Código limitações e padrões rígidos para todos os tipos de veículos motorizados.

Portanto, de acordo com a legislação brasileira, é permitido circular nos corredores.

Mas fique atento, pois alguns fiscais de trânsito e policiais costumam notificar os motociclistas que circulam nos corredores, baseados principalmente nos seguintes artigos do CTB:

Art. 29-IX a ultrapassagem de outro veículo em movimento deverá ser feita pela esquerda, obedecida à sinalização regulamentar e as demais normas estabelecidas neste Código, exceto quando o veículo a ser ultrapassado estiver sinalizando o propósito de entrar à esquerda;
Art. 177 Dirigir ameaçando os pedestres que estejam atravessando a via pública, ou os demais veículos.
Art. 188 Transitar ao lado de outro veículo, interrompendo ou perturbando o trânsito.
Art. 192 Deixar de guardar distância de segurança lateral e frontal entre o seu veículo e os demais, bem como em relação ao bordo da pista, considerando-se, no momento, a velocidade, as condições climáticas do local da circulação e do veículo.

Um estudo americano sustenta que acidentes no corredor causam ferimentos menos graves e menos mortes do que os ocorridos quando a moto está atrás de outros veículos. Por outro lado, a maioria dos especialistas diz que o risco de andar no corredor é maior por conta do abuso da velocidade e é isto que aponta o estudo americano: a diferença de velocidade entre os carros e as motos é o fator que aumenta significativamente o risco de lesões.

O uso do corredor é uma necessidade nas grandes cidades e o fim dessa prática tiraria um dos principais objetivos da moto, que é proporcionar mais mobilidade do que veículos maiores. Mas se o trânsito está em movimento, evite utilizar os corredores, pois além de ser uma prática mais insegura, é mais fácil ser enquadrado nos dispositivos acima. Olhe sempre nos retrovisores e nos pneus dianteiros dos carros, pois eles indicam quando um motorista vai mudar de faixa sem necessariamente sinalizar sua intenção. Cuidado com os pedestres e vendedores no sinal, eles surgem de repente. Pilote sua moto com responsabilidade.

Última modificação: Qua 25 Jan 2017

Deixar seu comentário

Postar comentário sem fazer login

0 / 2000 Restrição de Caracter
Seu texto deve conter 5-2000 caracteres

Comentários (28)

  • Marco Krueger

    Apesar de ser o site, um canal de comunicação aos amantes do motociclismo, obviamente é democrático, e motoristas também fazem comentários. A respeito destes, a tempos não lia tanta animosidade e desconhecimento sobre o assunto das 2 rodas e legislação. Motoristas que lá escreveram, insistem no termo pejorativo aos estradeiros de motoqueiro, não diferenciando os responsáveis dos que pouca responsabilidade tem, talvez pela pouca idade (síndrome do super homem), da ignorância cultural/baixa escolaridade, e daqueles que fazem das duas rodas instrumento de trabalho, e que infelizmente dada a situação a que se impõe/necessidade, aliado as citações acima, usam inconsequentemente, havendo sempre exceções em maior ou menor %. Obvio que não convêm a ninguém a pilotagem agressiva, nem a nós motociclistas, pois podemos ser vitimas dos que não tem o minimo de conduta, assim como os motoristas, que por falta de campanha educativa, e omissão dos meios de comunicação, que acidentes com motos é caracterizado como atropelamento e portanto sujeitos as penalidades do fato.
    Como diz o código de transito, dê a vez e garanta a segurança dos mais fracos ou mais suscetíveis.
    Tenho percebido por experiencia própria diariamente, que alguns motoristas já percebem isso, e se afastam, mas não é uma regra. Desta forma, me parece que a pilotagem segura, responsável, defensiva e a cordialidade são insuperáveis no convívio agressivo do transito nos grandes centros. Me parece que os motoristas enfurecidos que deixaram seus comentários, precisam de uma reciclagem para entender a opção do uso da motocicleta em suas diferentes situações; assim como os motoboys e similares, para melhoria comportamental e respeito ao próximo e ao patrimônio... mas esqueci que estamos no Brazil (pátria educadora - só que não...) e não na Alemanha, e desta forma estas necessidades e intensões nobres não tem valor.

  • Marco Krueger

    Interessante a informação. Efetivamente o corredor não é proibido. De qualquer forma, sujeito a interpretação da lei, como citado. Desta forma nós usuários, devemos proceder sempre com cautela e evitar eventos desagradáveis.

  • Thiago

    Resumindo: tudo isso pra dormir mais uma hora ou chegar mais cedo a casa. Negocio é sair buzinando e passar o problema para o motorista.

    Pergunto-me se esses motoqueiros não têm mãe ou são professores de física? Não ha outras razões para explicar tamanha falta de civilidade no trânsito.

    Enquanto não tiverem consciência que ponto cego existe e que motoristas assinam somente um B.O. e são processados, enquanto motoqueiros vão para hospitais ou direto para o necrotério, essa zona nos grandes centros vai continuar.

  • Luiz de Miranda Corrêa

    Acho a moto excelente meio de transporte, contudo perigosíssimo. A Prefeitura, ao invés de fazer ciclovias, que transportam quase ninguém, deveria fazer moto-vias, resolvendo assim muitos acidentes de motos e incidentes entre motoristas e motoqueiros. Aliás. os motoqueiros pensam que são donos das ruas, na situação atual.

  • Maria

    Boa noite!
    Tenho uma dúvida
    Hoje minha irmã estava conduzindo a moto dela, e foi ultrapassar uma moto e o condutor desta a fechou querendo entrar na rua ao lado, onde ela caiu com tudo no meio do asfalto. A moto sofreu danos. E graças a Deus ela não se machucou.
    Nesse caso quem está errado? Ele deverá pagar?
    Ela pegou os dados dele porém não chamou a polícia.
    Como deverá proceder?
    Grata.

  • renato

    Em resposta a: Maria

    Com certeza se o ela caiu porque um motoqueiro ia entrar a esquerda ou direita e entrou na frente dela pra entrar nesse lugar o motoqueiro que estava errado , porque se ele for sair de uma rua pra entrarr a esquerda ou direita ele deve fazer isso atrás de outro motorista ou se for na frente tem que ser em uma distância bem seguro o que não deve ter sido o caso que você pode alegar

  • Em resposta a: Maria

    Bom dia, Maria. Devemos agradecer a Deus por sua irmã não ter machucado e esta bem. Isto é o mais importante.

    A descrição que você fez não nos dá elementos suficientes para afirmar se houve apenas um culpado pelo acidente. Parece-me que, à luz do Código de Trânsito Brasileiro, ambos cometeram erros.

    No caso do outro motociclista: 1) ele não se certificou de que poderia executar a manobra de conversão sem perigo para os demais usuários da via que o seguiam e 2) não indicou seu propósito de forma clara e com a devida antecedência, por meio da luz indicadora de direção da moto.

    No caso da sua irmão podemos relacionar: 1) ela não indicou com antecedência a manobra pretendida, acionando a luz indicadora de direção da moto, 2) não afastou-se do usuário ao qual ultrapassaria, de tal forma a deixar livre uma distância lateral de segurança e 3) estava fazendo uma ultrapassagem em uma interseção ou proximidade de uma interseção.

    Por tudo isto, creio que dificilmente sua irmã conseguiria ressarcimento pelos danos na sua motocicleta, principalmente por causa do item 3 acima, que no meu entendimento é o que seria o mais importante na análise do acidente.

  • carinha

    Texto tendencioso que não explica a realidade.Aquilo e um espaço de segurança ENTRE OS CARROS ou seja utilizado para manobrar caso encontre um buraco ou um cachorro ou maluco suicida.Mas você pode utilizar o espaço de SEGURANÇA? claro que não pq do meu ponto de vista existe um motoqueiro (que são de forma inegável os MAIORES infratores de leis de trânsito) de forma irregular já que aquilo e um espaço de segurança utilizando a faixa e o que pior achando achando que estão certos ou seja o cara no carro ,caminhão ou seja lá o que for não pode desviar de nada pq tem um carinha que acha que pode andar ali tomando esse espaço,passa algumas vezes ate encostando nos carros e o que pior acha que tem o direito de estar ali.Se esse argumento arcaico de vetar a forma de utilizar um veiculo for valido não existiria faixas exclusivas para onibus ou ciclistas. Mas vindo dos maiores infratores das leis de trânsito não me admiro essa forma de pensar que estão corretos.

  • Rodrigo P.

    Pois é José Antonio, estes são os ricos de andar no corredor com a moto, mesmo com o transito parado (que é quando eu uso). Você precisa estar atendo e em baixa velocidade. Eu uso a segunda marcha quando estou no corredor, perto dos 40 km/h. Eu já fiquei bravo com pedestres que cruzaram a rua fora da faixa, pois, eles fazem isto sem ver a moto se aproximando. Já pensou atropelar alguém? Seria horrível se acontecesse e mesmo se for com um carro é uma experiência que ninguém quer passar...

  • Jose Antonio

    A cerca de uma semana atrás, pude observar uma explosão de fúria de um
    motociclista (?), por conta de um senhor de uns sessenta e poucos anos que
    atravessava a rua entre os carros parados em um sinal de trânsito.
    Será que o senhor de idade "invadiu" o território proibido do corredor entre
    os carros, "exclusivos" aos motociclistas ?
    E se tivesse havido um atropelamento do idoso, já que o motociclista vinha em alta velocidade ?

  • Karol

    O problema não é a moto no corredor, ou o carro que converte de maneira errada. É o motorista mal educado "dominando" ambas as situações. Nunca pilotei uma moto, mas tenho consciência de que estão em uma constante situação de perigo, enquanto eu, motorista de carro, tenho a lataria do carro para reduzir o impacto. Mas existem SIM "motoqueiros" inconsequentes, que não tem "freio" na moto, muito menos educação, bem como infelizmente existem também motoristas de carro que acham que temos "bola de cristal".

  • Inconformado

    Muito útil seu cometário, Sr Saxao. Parabéns. Provavelmente, mas não certamente, qquer dia, irei rir de V.Sa. também! Prost, Sachse!

  • saxao

    "Incorfomado" certamente é um pau no $#@ no transito

  • Inconformado

    Certamente é expressão pesada. Meu cel fica desligado enquanto dirijo. Uso as setas sim...apesar de serem inúteis qdo se quer mudar de faixa, qdo se tem uma fila interminável de motos. Aceito sim que as motos utilizem o corredor, não há o que se fazer qto a isso. Qto a vc, Sr Rogerio Siqueira, respeito sua opinião e torço para que nenhum de seus familiares, conhecidos ou vc mesmo, seja vítima dum verme que se acha dono do corredor. Mas, se eu ver qqer um de vcs estendido, com certeza irei rir da mesma forma. Aliás, falando no capeta, qtos mais vermes motoqueiros forem parar no colo dele, será um a menos perturbando.

  • Rogerio Siqueira

    Certamente o Sr. "Inconformado" é daqueles que verdadeiramente e se acham donos da rua, ou seja, não olha no retrovisor para mudar de faixa, seta pra ele é enfeite ou ainda não descobriu sua serventia, vive falando ao celular enquanto dirige, acha que tem prioridade em relação aos outros usuários da mesma via, consequentemente entra em atrito com quem vem pelo corredor. Tome mais cuidado e aceite que motos utilizam o corredor para passagem, passe a observar mais o retrovisor, afinal ele serve pra isso, desligue o celular enquanto dirige afinal não será só uma moto que vai atingir, mas também outros carros devido a desatenção no trânsito.
    Como eu já comentei anteriormente, dirijo carro e moto diariamente, nunca tive problema com motociclista enquanto dirigia meu carro pois como também sou motociclista sei muito bem os limites da moto e do meu carro, sei que quem vem na moto é muito mais vulnerável do que eu enquanto estiver no conforto do meu carro, porém já passei diversos apuros devido a falta de responsabilidade dos motoristas que fazem tudo e mais um pouco das imprudências que citei.
    Exites irresponsáveis em ambos os lados, porém não da pra generalizar e principalmente agir como um marginal criminoso que ao ver um ser humano vitima de um acidente ao invés de ajudar preferi rir. Certamente o capeta estará rindo também de você ou de alguém de sua família quando estiver na mesma situação do motociclista caído no chão, pois aquele que deseja o mal só merece o dobro do mal que desejou.

  • RODRIGO

    Realmente, motoqueiros são diferentes de motociclistas. Não podemos generalizar. Eu guio minha motocicleta com todo o cuidado do mundo e estou atento ao trânsito, inclusive atendo as motocicletas menores, que possuem mais agilidade entre os carros. Eu uso o corredor apenas quando o transito está parado e onde é possível a passagem. Mesmo aos olhares enfurecidos dos motoristas de carro, talvez por ficarem parados... rs, rs, rs, paciência. O caso é que se toda a moto utilizar o espaço do carro (alinhadas uma atrás da outra)... as cidades parariam de vez.

  • Inconformado

    Matéria clara e objetiva.
    Não colocarei todos os meus sentimentos à respeito dos motoqueiros (motoqueiro não é o mesmo que motociclista). Compartilho da visão de Chis@. Motoqueiro se acha dono do corredor. Não te permite mudar de faixa, buzina e estala o escamento, inclusive dentro dos túneis. Avança para cima dos veículos, com seta ligada, geralmente para o lado em que não irá virar. Se deslocam de forma que o condutor do veículo com mais de 2 rodas, se não quiser ter seu veículo alvejado, tem por obrigação se virar para dar-lhes passagem. Assim sendo, parece que estão sempre numa competição, onde os outros é que se virem. Costumam, inclusive, hostilizar os motociclistas que guiam com prudência. Assim sendo, em meio a tanta intolerância, imprudência e cheios de suposta " perícia ", as leis da Física falam por sí. Só me resta lamentar, a cada arranhão e prejuízo material que tenho no carro, por conta de tais seres bestiais. E rir, cada vez que vejo um verme desses estendido no asfalto.

  • Thiago Maia

    Existem motoristas de carro desatentos, mas quem tem que andar atento no corredor é principalmente o motociclista.
    A grande verdade é que a moto parece que não tem freio, quando um carro quer mudar de faixa dando seta, a moto NUNCA reduz a velocidade para permitir a entrada do carro, como os outros carros fazem, muito pelo contrário, acelera e buzina.

  • Boa matéria! Muito elucidativa.
    Também discordo da opinião da Sra CHIS@, sou motorista de carro e moto a 20 anos, diariamente dirijo os dois, durante o dia a moto e a noite o carro (tenho compromisso nesses dois períodos). Sei bem o quanto a situação é mais difícil para o momento que estou na moto.
    Hoje em dia como o Roberto falou, com as inovações tecnológicas (celular, tablet) e mesmo a facilidade em comprar o tão sonhado carro, as ruas se tornaram intransitáveis, percebo que muitos motoristas seja homem ou mulher, não se importam em prestar atenção nos retrovisores para verificar se é possível ou não passar de uma faixa para outro, isso ocasiona faz com que aconteça o que aconteceu com a Sra CHIS@, ou seja, ela só vai ver que tem uma moto passando quando esse veículo de 02 rodas para praticamente em cima de seu veículo de 04 rodas todo protegido pela lataria do mesmo. Não estou dizendo que foi o caso dela, mas as chances são grandes de ter sido.
    Mas também tem muito caso, que preciso relatar, é o de falta de prática em dirigir carro por parte de uma enorme parte dos motoristas, como disse no começo da resposta, a facilidade em comprar o carro, agora destoa da facilidade em dirigir, pois esse pessoal que está dirigindo não tem a menor competência para tal feito, estão saindo das auto-escolas totalmente despreparados e vão literalmente aprender a dirigir na "vida real", colocando em risco a vida não só dos motociclistas como dos pedestres e até mesmo dos outros condutores de carros.
    Percebo muitas senhoras que já não tem a chamada "percepção aguçada" ou o menor conhecimento de direção preventiva, sem contar nos machões do trânsito, que dentro de seus carros com as portas totalmente fechadas se transformam em verdadeiros homens de neandertal, totalmente mal educados, incompreensíveis e sem contar criminosos que acham que tudo se resolve com violência.
    Andar de moto é uma verdadeira aventura, precisa ter coragem pois seu corpo é seu parachoque, já do motorista de carro, são inúmeras, numa colisão entre carro e moto, o resultado é certo, ou seja, hospital para o motociclista e celular para ligar pra mãe ou seguradora pro motorista de carro, deve ser por isso que poucos se importam com quem vem de moto, avançam com seus carros, mudam de faixa sem dar seta e assim vai, até que alguém morra no trânsito devido a total imprudência de alguns desinformados e incompetentes para assumir a direção de um veículo.

  • Rodrigo

    Permita-me discordar, mui respeitosamente, dos comentários da senhorita CRIS@.
    Há motociclistas e motoqueiros. Estes são diferentes, apesar de ambos estar "pilotando" uma moto, não são farinha do mesmo saco.
    Assim como eu gostaria que todo "motoqueiro" tivesse a experiência de andar de carro para perceber os pontos cegos de um veículo, o trânsito também seria bem melhor se todo mundo também tivesse a experiência de pilotar uma motocicleta. Hoje, com 20 anos de habilitação B e apenas 1 ano com a habilitação A, percebo que sou um condutor muito mais completo.
    As ruas são públicas e não são exclusivas para os carros. O código de trânsito diz que os veículos maiores devem cuidar dos menores.
    Pergunto: a senhorita estava atenta ao trânsito quando aconteceu o ocorrido? Se estava atenta, esta cuidando da motocicleta? Sabes que quando bate numa moto é o equivalente ao atropelamento?
    E é exatamente assim que nos sentimos quando somos ameaçados em cima de uma moto. Que estamos prestes a ser atropelado. Por isto, e sem razão, alguns motociclistas agem esbravejando, quando levam uma fechada. Pois, não é uma experiência muito agradável. É uma ameaça perto do pessoal, contra a nossa vida.
    Percebo muita gente desatenta ao trânsito, pessoas com os seus tablets, celulares twitando ou no "zap zap", se maquiando, comendo, conversando... e conduzindo os seus veículos com menos de 50% de atenção ou percepção do que está acontecendo.
    O trânsito será muito melhor com cuidado, atenção e respeito com os outros.

  • chis@

    "é largamente utilizado como forma de garantir maior agilidade de deslocamento."

    Isso é conversa fiada, porque se quisessem, realmente, garantir maior agilidade de deslocamento no trânsito, deveriam, então, fazer lei que dê prioridade de passagem aos ônibus coletivos, porque estes sim, merecem essa prioridade. Carregam velhos, crianças, deficientes...

    Motos carregam, geralmente, jovens do sexo masculino, cheios de testosterona e imprudência. E ainda querem deixar eles costurarem ainda mais?

    Muita gente, anda de moto por falta de opção. Ônibus, que é mais barato, demora muito e carro, é menos econômico. Se derem maior atenção e apoio ao transporte coletivo, muitos vão passar da moto pro ônibus ou metrô e usariam a moto só prá lazer.

    Em outros países, como no Canadá, já é lei dar preferência ao ônibus coletivo. Aqui, infelizmente, ainda não é, mas eu já o faço, com o maior prazer.

    Também respeito as faixas de pedestres e os ciclistas, do lado direito da faixa mais lenta. Faço questão de dar espaço, quando vejo um.

    Mas motoqueiros maloqueiros, não merecem respeito. Abusam muito dos tais "corredores" que não devia nem se chamar assim, afinal, corredor, a princípio, é algo imutável, é o espaço entre duas paredes e carros, não são paredes.

    Hoje um desses motoqueiros de corredor, aqui em Floripa, não deu atenção à minha seta de sinalização, indicando que ia mudar para a faixa da esquerda, e freou em cima de mim, buzinando como se eu estivesse errada. Era também um milico, que olhou minha placa, dando a entender, que iria me denunciar.

    É muito desaforo, viu? Por que não fabricam umas motos com asas, prá que esses mentecaptos impacientes, passem por cima de todo mundo e deixem o trânsito mais tranqüilo e livre deles?!

    Quando o trânsito está congestionado, eles acham que vc deve invadir o único espaço do pedestre e ciclista, do lado direito da pista, prá que eles possam passar no tal corredor, do lado esquerdo. Se eu tiver que escolher, em dar atenção/prioridade, entre motos e pedestres/ciclistas, prefiro dar atenção aos da direita, aos pedestres e ciclistas, sem dúvida nenhuma.

  • Vantuir

    Ótima reportagem Rômulo!

    Aqui em Florianópolis eles estão multando baseado no artigo Art. 192, não guardar a distância segura entre um veículo e outro . Já tomei uma dessa. Infelizmente não há o que contestar. Acho que isso só acabaria quando houvesse um dia de protesto onde todas as motos fizessem o que eles querem. Ficassem atrás de um carro e sem nenhuma outra moto do lado e sem passar no corredor. Aqui seria um dia que pararia a cidade com certeza.
    É o tipo de protesto saudável e que mostra a apilcação dessa lei é inviável para o fluir do transito.

  • renato

    Em resposta a: Vantuir

    Só pra você com essa mente vazia que acha que fluiria o trânsito onde moto teria que andar atràs dos outros veículos e ainda correndo risco de vir outro atrás e esmagá-lo né?? e o congestionamento que já é longo nos horários de pico imagine todas motos indo atrás de outro veículo o caos que seria .. Só na sua mente que seria bom moto atrás de carro..

  • Bastante esclarecedor. Para complementar, outra dica de segurança é redobrar a atenção quando uma fila de carros está fluindo mais rápido que a outra ao lado. É tentador para o motorista da fila mais lenta aproveitar espaços para mudar de faixa rapidamente e muitas vezes sem tempo para sinalizar ou até mesmo observar com a devida atenção o fluxo na faixa ao lado ou no corredor.

  • Mário Perrota Júnior

    Acredito que as motos deveriam ter o seu espaço. E na contramão de direção do tânsito de automóveis.Acho que ficaria mais consciente, responsável,claro e melhor sinalizado...

  • Antonio

    É mas se vc entrar com recurso baseado nos art.29/Ix, art.177, art.188 e art.192, com base no CTB onde foi extinto o art. 56, alem de cancelar a multa e os pontos da CNH, vc ainda pode requerer indenização do agente aplicador por intenção indevida, e abuso de autoridade. É só fazer o recurso no GCRIM, assim que tiver o resultado como indeferido que é o que ocorre sempre, vc ingressa no Juizado especial de pequenas causas e com certeza sairá um novo resultado dando-lhe o direito de recurso positivo, onde vc ai entra com indenização sobre custódia de servidor baseado no art.4898 por abuso de autoridade. Então além de cancelar a multa e os pontos vc vai receber uma indenização do órgão onde foi aplicado a notificação, com prazo de até 60 dias para o pagamento, sem direito a recurso por parte do acusador, e multa de 50% caso o mesmo não cumpra no prazo determinado.