• Dicas
  • Publicado em

Viajando com Nakeds e no Frio!

Estou escrevendo isso de um hotel em Gramado (RS), no meu terceiro dia de uma viagem que iniciou em São Paulo, passou por Curitiba-PR, Florianópolis-SC e terá seu climax amanhã em Bento Gonçalves-RS até meu retorno a São Paulo. Nesse meio tempo eu percebi acertos e erros na viagem e gostaria de compartilhar alguns deles...

O primeiro seria o mito de que você precisa de uma moto de aventura tipo Dual-Purpose (BMW 1200, Ducati Multistrada, Yamaha Super Ténéré seriam exemplos) ou uma "estradeira" (ahn... Harley?) para fazer uma viagem dessas e cara, isso não é verdade! Estou fazendo a viagem em uma naked Kawasaki Z1000 e estou me divertindo muito, na verdade eu me inspirei em um vídeo onde dois caras saem do Reino Unido, vão até a Espanha e depois para a África em duas motos esportivas, cruzando 2.500 milhas de estrada, sem contar a parte que fizeram de barco

Bom minha moto não é esportiva, mas tem muitas semelhanças, as diferenças basicamente as deixa mais confortável boa parte do tempo, então, parafraseando Jeremy Clarkson eu pensei "How hard can it be?".

Uma coisa que a equipe desse vídeo confessa no final é que as mochilas que eles estavam carregando não foi toda a bagagem que eles usaram, a equipe de filmagem levou uma boa parte para eles, então, essa era a primeira parte que eu teria de achar uma solução. Eu tentei em viagens menores usar mochilas maiores e cheguei até a comprar aquelas malas de alpinismo. Má idéia... essas malas tem a aerodinâmica de um coqueiro e tentam te levantar o tempo todo de sua posição confortável. Resolvi então investir um pouco e comprar um suporte para bauleto, comprei também o maior bauleto que eu achei, um E55 MAXIA 3 TECH. O resultado final foi esse:

Bauleto para moto Naked

Caso você esteja se perguntando, sim, houve uma perda enorme na estabilidade e na aerodinâmica da moto, o baú também é barulhento quando está vazio e isso enche um pouco o sacom. Minha solução é simplesmente tirar quando não  está sendo usado. No entanto, acho que a Givi resolveria esse problema se criasse uma espécie de bexiga ou sei lá o que para preencher o baú quando precisar levar menos coisas. Ganchos no fundo do baú para colocar uma redinha também poderiam ajudar... se alguém da Givi ler isso fica a dica! No fim das contas ele me atendeu e este problema estava resolvido.

Outro problema nesse tipo de moto é o banco desconfortável. Ele é excelente para usar em autódromo, mas nas nossas ruas pode ser uma tortura sentar nele, deixando a bunda doendo em poucos quilômetros... Adivinha: Já acharam uma solução pra isso! Por indicação de um amigo, comprei um assento inflável! Isso mesmo, ele chama Airhawk, se quiser procurar por aí... não tenho nenhuma foto dele, mas pode comprar que funciona. Minha dica é não encher ele demais, só um pouqinho, sem afetar muito sua posição de pilotagem.

Bom a moto estava pronta. Vamos agora falar de vestimentas:

Vou falar item a item, mas a minha impressão geral é: Pesquise antes de comprar qualquer equipamento, saiba as opiniões de quem comprou e prime pela qualidade! Qualquer costurinha ou defeitinho de fabricação em qualquer coisa vai se tornar um incômodo imenso para você durante a viagem! Ah, e preço não é sinônimo de qualidade! Use a internet para procurar revisões de cada produto e escolha o que melhor se adequar à sua necessidade.

Capacetes e viseiras escuras:

Cara, a última vez que eu comprei um capacete quase comprei daqueles que tem o visor escuro embutido sabe? Aqueles óculos retráteis? Não comprei porquê achei pesado... como eu me arrependo! Parece perseguição, eu coloco a viseira cristalina, o sol vem a pino, eu coloco a escura e na próxima curva tem neblina, eu desisto e deixo só a cristalina e sinto meu rosto queimado de sol no fim do dia. Cara, isso enche o saco! Devia tem comprado um daqueles! Se tiver a oportunidade não pense duas vezes!

Balaclava:

Estou no sul do brasil no inverno, isso já deve dar um bom sinal da temperatura. Hoje passei por trechos com 5 a 6 graus Celsius de temperatura ambiente. Como uma vez já ouvi do professor de pilotagem Geraldo Tite Simões, que a sensação térmica na moto pode ser de até 5 graus abaixo, dá pra você fazer uma idéia que eu precisei mesmo de balaclava! Usei uma meia-balaclava que importei da Bilt Freeze-out, AQUI tem um link de onde eu comprei, mas talvez a balaclava completa seja mais confortável... a marca no entanto, posso recomendar, não passa um vento sequer!

Macacão:

Tenho um macacão de couro da Spidi e uma boa característica dele são emendas de tecido que permitem o ar entrar e dão boa ventilação ao corpo... isso no calor né? No frio, o esquema é outro, não tinha dinheiro para comprar um macacão de Cordura, então, apelei pro Freeze-Out de novo, não me arrependi e isso me economizou uma grana. Talvez para temperaturas negativas, essa decisão seja questionável, mas para o meu caso, me manteve muito bem aquecido e estou aproveitando o benefício aerodinâmico que o couro dá para viajar um pouco mais rápido que eu poderia com Cordura que prende bem mais...

Luvas:

Da última vez que estive por aqui vim só com uma luva de couro, daquelas esportivas que garantem boa sensibilidade na pilotagem... o problema dela é que as entradas de ar quase congelaram os meus dedos, hehe! Dessa vez eu vim preparado! Trouxe as esportivas, mas também trouxe uma de reserva para frio, de cordura e sem entradas de ar, menos sensibilidade, mas conforto muito maior, dependendo da necessidade entre uma parada e outra de abastecimento eu as troco! Detalhe que essa também é impermeável, e funcionou bem na chuva que eu peguei em Floripa! A luva é uma Alpinestars ST-1 Drystar.

Nota: eu falei bem das luvas Alpinestars que comprei e, embora ela tenha mesmo suas qualidades, seus defeitos me fizeram parar de usá-las assim que a temperatura aumentou um pouco, abaixo tem a lista de problemas que eu encontrei:

  • Ela não protege contra o frio mais rigoroso: Até uns 5°C ela vai bem, mas abaixo disso ela abre o bico. Peguei de 0 a 3°C com ela e você pode sentir o ar gelado entrando pelas costuras nessa temperatura, não sei que tipo de luva seria boa para pilotagem a tal temperatura, mas essa pode esquecer;
  • É difícil colocar ela com as mãos úmidas: Isso é dos itens mais irritantes delas principalmente quando você pensa que esta é uma luva impermeável! O fabricante deveria imaginar que em algum momento o piloto a tiraria da mão e a colocaria novamente, isso é uma constante quando você anda por vias pedagiadas! O forro da luva adere na sua mão e fecha a entrada dos dedos, o que nos leva ao terceiro defeito;
  • O forro interno não é costurado à luva: Se você conseguir colocar a mão úmida na luva, ou se por um acaso suar nela, ao tirar tem um boa chance do forro vir junto! Cara isso enche o saco!

    Era isso, se alguém tiver uma sugestão de qual luva devo comprar, será bem vinda!

Botas:

Minhas botas são Alpinestars SMX... eu já as tinha... não tive problemas com elas e meus pés ficaram aquecidos o tempo todo... funcionou bem então

Bagagem:

Como já falei antes estou usando um bauleto da Givi e ele é muito bom. A dica que queria deixar aqui é sobre organização da mala! Acredite em mim, você vai ficando cada vez melhor nisso! Então, a dica que eu posso te dar é que você arrume sua mala TODA todo dia! Cara, espaços aparecem do nada! Parece que as roupas diminuem de tamanho! Faça isso e até o terceiro dia você vai notar que pode colocar bem mais coisas ali! Só tome cuidado com o peso! A mala pesada dá um efeito alavanca na moto e pode fazer com que ela dê pequenas empinadas! Mão leve no acelerador quando estiver carregado!

Bom, acho que é isso!

Até mais!

Deixar seu comentário

Postar comentário sem fazer login

0 / 2000 Restrição de Caracter
Seu texto deve conter 5-2000 caracteres

Comentários (14)