• Dicas
  • Publicado em:

Qual é a melhor forma de vender uma moto?

Antes de mais nada, anote-se: eu sou um péssimo vendedor. Não tenho nenhuma gota da arte do comércio correndo nas veias. Justamente por este motivo, resolvi compartilhar os caminhos que, de uma forma ou de outra, serviram para que a Honda XR250 Tornado e a Harley-Davidson FLSTF Fat Boy que me acompanhavam há algum tempo mudassem de mãos e fossem fazer a alegria de outros motociclistas.

Dito isto, uma resposta breve à pergunta que sempre me fazem:

Piréx, vendeu por quê?

Vendi por que, depois de muitos tempo – 20 anos, para ser mais preciso – rodando exclusivamente em estradas asfaltadas, comprei a Tornado e com ela me enveredei pelas estradas de chão batido. A Fat Boy é uma motocicleta excelente, mas exige um pavimento de boa qualidade; a Tornado, por outro lado, ignora as irregularidades do piso e só não se transformou em minha única moto por que suas 250 cilindradas sofriam ao carregar os meus quase 100 kg. Como ficar com elas e adquirir outra nunca foi uma opção (por conta da minha restrição orçamentária, popularmente conhecida como falta de dinheiro), restou vender ambas e descobrir quem seria a sucessora.

Voltemos ao começo da conversa.

É certo que há uma pessoa interessada na sua motocicleta em algum lugar, mas onde? Descobri-la não é uma tarefa fácil e a minha experiência recente demonstrou que a melhor alternativa é atirar para todos os lados, começando pelo mais fácil (e mais barato). Passemos às minhas sugestões.

1Anuncie em um site de classificados. Além da maioria deles não cobrar pelo anúncio, sites semelhantes aos populares Moto.com.br, WebMotors, OLX e Viva Street são muito procurados por potenciais compradores, além de permitirem que seus dados sejam corretamente indexados por buscadores, o que facilita a sua localização. Ao criar o anúncio, pense como um comprador e atente ao seguinte:

1.1As fotos precisam falar por si. Esqueça as fotos antigas ou de viagens épicas: o que um comprador quer ver são imagens recentes, com boa iluminação, que permitam ver os detalhes da moto (pneus, pintura, painel, motor, banco, etc). Moto suja, é claro, não desperta o interesse de ninguém.

1.2A descrição precisa ser clara e objetiva. Detalhes demais farão com que o leitor perca o interesse antes do final e talvez nem chegue na parte que realmente interessa: itens como cor, quilometragem e estado da pintura e dos pneus são importantes, mas não exagere no tamanho do texto e em hipótese alguma coloque uma informação falsa (essa última pode mandar por água abaixo um negócio fechado). Por fim, disponibilize mais de uma forma de contato, como e-mail e telefone, para agilizar o esclarecimento de dúvidas.

1.3Seja realista no preço. Não há dúvida que as motocicletas possuem um valor afetivo para seus proprietários, mas infelizmente quem dita os preços é o mercado e não nossos corações. Um bom ponto de partida é a tabela da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, mas o preço que ela informa não é uma regra: é bom analisar os anúncios de motos semelhantes para verificar se os valores praticados estão acima ou abaixo da FIPE.

Garota vendendo moto
Assim fica mais fácil vender a moto

2Use e abuse da sua rede de contatos. De posse do link do anúncio, utilize todas as ferramentas disponíveis para disseminar a informação da venda – e-mail, Twitter, Facebook, Orkut, listas de discussão, fóruns e o que mais estiver à mão – e prepare-se para negociar, já que é bem possível que surjam as mais variadas ofertas (envolvendo outros veículos, consórcios, pagamento parcelado e por aí vai).

3Escolha uma revenda de usadas. Deixar a moto à venda em uma loja pode ser um bom negócio principalmente por que (1) o lojista pode receber outra usada na troca ou (2) conseguir um financiamento para o comprador; além disso, (3) muitas vezes compras desse tipo são feitas por impulso: um cidadão foi lá ver outra moto e acabou levando a sua para casa. Apesar da maioria das lojas não cobrar pela venda, é preciso combinar os valores (da moto e da comissão do vendedor) antes para que ninguém seja prejudicado.

4Anuncie em um jornal de grande circulação. Fazia um bom tempo que eu não anunciava nada e confesso que fui surpreendido pelo valor – quase R$ 40 – cobrado por um anúncio simples no caderno de veículos dominical de um jornal de Porto Alegre (RS). Vale a pena anunciar em uma mídia tradicional para testar o retorno do mercado e, com calma, negociar entre os interessados oriundos da loja e das publicações na internet e no jornal.

Vender uma moto exige tempo, dedicação, paciência e muita persistência, mas com o dinheiro em mãos é possível fazer um negócio mais vantajoso na compra da próxima companheira de estradas. Boa sorte na sua próxima venda!

Piréx (Cássio Pires) Piréx - Diário de Bordo

Última modificação: Qua 25 Jan 2017

Deixar seu comentário

Postar comentário sem fazer login

0 / 2000 Restrição de Caracter
Seu texto deve conter 5-2000 caracteres