Viagem de moto pela Argentina

Agora sim, começa a viagem por lugares bonitos, agradáveis e diferentes. O deslocamento sem muitas atrações é a parte cansativa da viagem, mas a partir de agora, com a paisagem interessante, o tempo voa.

De Ledesma, seguimos em direção a San Pedro de Jujuy e depois, San Salvador de Jujuy. Paramos em um mirador perto da cidade de Leon, e logo que retornamos para a estrada, fomos ultrapassados por varias motos BMW 1200 e algumas esportivas que estavam juntos, o pessoal estava com a mão pesada...

Logo estávamos em Purmamarca. Por diversas vezes, passei batido por esta cidade para não atrasar minha ida ou volta do Atacama. Mas desta vez queria conhece-la um pouco melhor. Entramos na cidade e já procurei a estrada para o caminho do Paseo de los Colorados.

Uma estradinha que passa por trás da cidade que pode ser feita a pé, em bike, em carro ou moto, muito rápido e dá para conhecer bem as diferentes formações rochosas existentes por ali. Rapidamente já estávamos de volta ao centro da cidade. Decidi fazer um lanche, desci da moto e comecei a sentir a diferença de altitude, mesmo estando somente a 2400 m. Já estive em altitudes muito maiores sem sentir nada, mas não sei o que aconteceu, Mas sabia que era algo consequente da altitude. Fizemos um lanche moderado, bebi um chá de coca e comprei algumas folhas.

A sensação de mal estar se acomodou e continuamos pela linda estrada que passa por Tilcara e Humahuaca em direção à fronteira com a Bolívia e também caminho para Iruya, cidade a 50 km da rodovia principal, em uma estrada com centenas de curvas à beira de precipícios.

Quando passamos por Tilcara, havia uma grande fila no posto de combustível e era fila única para motos e carros. Sempre administro a distancia entre os postos através do GPS, usando a visualização de pontos que estão na rota atual. Verifiquei que o próximo posto estaria em Humahuaca, distante 45 km. A moto do meu filho ainda não tinha entrado na reserva. Decidimos continuar subindo e abastecer em Humahuaca.

Fomos subindo tranquilamente, pois a XRE já tinha começado a sentir a altitude. Chegando a Humahuaca fui direto ao posto ACA, que não tinha gasolina. Tivemos que voltar para Tilcara. Era descida, mas o vento contra atrapalhou muito. Ainda bem que, quando chegamos, a fila tinha diminuído, mas mesmo assim, levamos quase uma hora para abastecer. Deste momento em diante começamos a levar 10 litros de gasolina reserva cada um.

Voltamos a subir, passamos novamente por Humahuaca e chegamos à estrada sem pavimento que nos levaria ate Iruya, um pequeno povoado / cidade cravada no meio de montanhas, em um lugar que, a não ser pela beleza, fica difícil entender porque aquele povo foi viver ali.

A estrada tinha muitas curvas, muitas mesmo, um sobe e desce incessante, algumas curvas ficavam à beira de profundos precipícios, todo cuidado era pouco. E continuamos subindo, e sensação de cabeça pesada, da pressão constante, começou a aparecer mais forte. Chegamos aos 4500 m. Descer da moto, parecia ser algo mais difícil, é preciso tomar um cuidado maior com a respiração, fazer movimentos moderados, tudo ajuda a não piorar o quadro.

Nos 4500 m tiramos algumas fotos e continuamos nossa jornada.

Ao fim da tarde, e após umas 2 horas que saímos do asfalto, chegamos na pequena Iruya. Paramos as motos próximas a um comercio, meu filho ficou cuidando delas e eu sai escalando as encostas da cidade a procura de um lugar para dormir. Cheguei a um lugar bacana, mas não tinha mais vagas, mas o dono Viktor me indicou a Hosteria Federico III. Tive que descer umas 4 quadras a pé até o hotel, acertei com gerente, e voltei para buscar as motos.

Andar em altitude com todo equipamento, começou a me deixar cansado.

Instalamos-nos e jantamos no próprio hotel, as motos ficaram guardados em uma casa próxima.

À noite a sensação de estarmos sofrendo com o mal de puna era ainda mais intensa. Tomamos remédio para dor de cabeça e fomos dormir.

Saída: Ledesma, Argentina
Destino: Iruya, Argentina
Km percorrida: 410 km
Km acumulada: 2.155 km

Hosteria Federico III: 300 pesos argentinos habitacion doble

Comentários (3)

This comment was minimized by the moderator on the site

nessa maravilhosa viagem vcs tiveram algum problema com as motos

This comment was minimized by the moderator on the site

Boa noite amigos...gostaria de saber como a XRE 300 se portou nesta viagem pois tb. tenho uma e estou planejando fazer uma viagem com esta então gostaria de ter mais informações de como a moto se comporta, um forte abraço e boas viagens....

This comment was minimized by the moderator on the site

Antonio, acompanhe a viagem que no final o Robson irá publicar um artigo tratando do desempenho das motos. Abraços

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

  1. Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Caracteres
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.

Livros sobre viagens pela América do Sul e Himalaia