De Cachoeiro a Ushuaia

De Cachoeiro a Ushuaia

DSCN4633Talvez esta seja uma das mais belas histórias da minha vida. A mais complexa, perigosa, emocionante e a mais maravilhosa.

Há muitos anos, quando estudei geografia, ouvi falar sobre a Terra do Fogo, Patagônia e geleiras glaciais. Os anos passaram e tive a Graça de Deus de conhecer ao vivo estes e muitos outros lugares...

E tudo começou assim....

1º dia - Cachoeiro de Itapemirim - Itapecerica da Serra

Os viajantesChegou o dia. Nos reunimos às 5 horas da manhã no Posto Esso Senna e saímos às 6 horas e 5 minutos. Pedrão estava com a gente e nos acompanhou até São Paulo, onde faria revisão da sua Hayabusa.

No primeiro contato com o Moacyr levei um grande susto, quando ele me disse muito claramente: Vamos manter a média de 200.
Eu falei: O que? 200?
Ele respondeu: 200 ou 230..
Eu perguntei: Não é muito não?
Ele me disse: Vai depender das médias das motos...

2º dia - Itapecerica da Serra - Lages

DIVISA DE ESTADOSAcordamos bem cedo e descansados. Ainda estava escuro quando tomamos café para sairmos e então vimos uma coisa que nos acompanha eternamente... uma chuvinha fina e fria iria nos fazer companhia.

Equipamos-nos para chuva e seguimos já sem nosso amigo Pedrão, que ficou antes de São Paulo. No trajeto, víamos as famosas araucárias, símbolo do Paraná, que por sinal tem uma cidade com seu nome.

3º dia - Lages - Chuí

DSC02183Saímos com um tempo ótimo para percorrer uma estrada com muita serra e curvas fechadas. Seguimos em direção ao nosso próximo destino que era Chuí/RS.

Eu estava com a filmadora mini DV sobre o meu tanque, filmando as paisagens e o grupo. Em um momento, num ímpeto da viagem, um furgão baú ultrapassou um caminhão e eu ultrapassei junto com ele pelo seu lado esquerdo e, para minha surpresa, após ter ultrapassado o caminhão, ele virou com a intenção de parar no acostamento do lado que eu estava fazendo a ultrapassagem. Foi por muito pouco que ele não me jogou para fora da estrada, pois ele fez uma manobra impossível de acontecer, mas estava acontecendo. Acelerei para sair na frente dele e consegui me livrar. Santa paciência... foi por pouco. Assim que me acalmei estabeleci o propósito de ter muito mais cuidados e não cometer erros como este.

4º dia - Chuí - Bahía Blanca

DSC02222Partimos para Montevidéu e, em Sacramento, trocamos dólares por pesos argentinos e preparamos nossa passagem para o dia seguinte no Buquebus.

O trajeto até Sacramento passando por Montevidéu é uma estrada maravilhosa com pista dupla. Fizemos os trâmites para embarcar e depois cruzamos o rio da Plata. Ficamos na primeira classe de um catamarã luxuoso com direito a free shop dentro da embarcação.

5º dia - Bahía Blanca - Puerto Madryn

DSCN4107Saímos de Bahia Blanca e as retas intermináveis nos deram o ar da graça.

A moto do Oliveira acabou a gasolina no meio do nada. Depois disso, viemos abastecendo em todos os postos que víamos pela estrada, pois a velocidade que andávamos e as pistas com retas convidativas para andar forte nos surpreenderam no quesito consumo.

Chegamos a Puerto Madryn. Eu e Kadim nos desencontramos do restante do grupo, que entrou por um lado da cidade e nós por outro. Nós percorremos a via principal da cidade para ver se encontrávamos os três amigos, mas não conseguimos. Pensamos então sobre a possibilidade de existirem duas entradas para a cidade. Dito e feito. Contornamos pelo lado oposto, retornamos para a Ruta 3 e em outro trevo encontramos o grupo, todos procurando todos.

6º dia - Puerto Madryn

Museu em Puerto Soares ArgentinaComo Kadim estava com a garganta inflamada e tomando antibiótico, não foi no passeio que eu, Oliveira e Odileno fizemos. Moacyr ficou dormindo o dia todo no hotel e não quis fazer o passeio.

Saímos em uma van com mais algumas pessoas de todos os idiomas e países possíveis reunidos. Uma salada de cultura e raças. Fomos visitar um museu percorrendo uma estrada de rípio e poeira, distante aproximada de 100 km de Bahía Blanca. Vimos muitos animais como avestruz e Lhama pelo caminho, que percorria uma região absolutamente deserta e árida.

7º dia - Puerto Madryn - Caleta Olívia

DSCN4198Aprontamos a bagagem e fomos procurar pneu para a XT 660 do Oliveira, mas não achamos na cidade. Nos informaram que na próxima cidade, que era Trelew, nós encontraríamos o pneu.

Enquanto procurávamos o pneu, encontramos uma loja que vendia galões de plástico para levarmos gasolina reserva para nossas motos. Todos compramos galões de 10 litros.

Moacyr, Odileno e Oliveira saíram da cidade na frente e eu e Kadim ficamos mais atrás, ficando combinado que nos encontraríamos na entrada da próxima cidade para trocar o pneu traseiro da moto do Oliveira.

8º dia - Caleta Olívia - Rio Gallegos

DSC02296Nesse dia a Patagônia nos esperava com toda sua fúria de ventos e frio incessantes.

Na medida em que a viagem progredia pela Ruta 3 na direção de Ushuaia, a impressão era de que o frio e o vento duplicavam a cada dia. Mesmo assim parávamos para tirar fotos e filmar.

Numa dessas seções para fotos, com muito vento lateral, eu estava parado sobre minha moto à beira da pista, me equilibrando enquanto guardava minha Nikon na bolsa de tanque, quando passou um caminhão muito próximo à minha moto e não tive chance alguma, fui arremessado ao chão com minha moto e tudo. O grupo todo me socorreu, ajudando a levantar a moto que não sofreu nenhum arranhão por causa das proteções que coloquei e pelos bauletos laterais. Tudo bem e sem problemas, mas senti a força da natureza bem de perto.

9º dia - Rio Gallegos - Ushuaia

DSCN4338Saímos do hotel às 9 horas com um frio já nos congelando.

Paramos na Aduana. Moacyr, Odileno e Oliveira saíram na frente e foram adiantar a entrada deles no Chile. Muita burocracia e muitos documentos. Os policiais nos disseram que não poderíamos entrar no Chile com gasolina nos galões como estávamos fazendo, não era permitido por ser uma prática considerada contrabando de combustível, já que entre Chile e Argentina existe uma diferença de preço muito grande. Colocamos o que pudemos nas nossas motos, sobrando ainda 15 litros. Os guardas ficaram procurando um galão para deixarmos o combustível, eu e Kadim ficamos 35 minutos aguardando o bendito recipiente. Os três partiram sem nós.

Conteúdo relacionado - América do Sul