• Daniel Zan
  • Publicado em
  • Acessos:

A história da Rota 66

O início

Em 1857, o Tenente Edward Fitzgerald Beale, um oficial da Marinha a serviço do Corpo Topográfico do Exército dos EUA, recebeu uma ordem do Departamento de Guerra para construir uma estrada ao longo do paralelo 35. Suas ordens secundárias eram testar a viabilidade do uso de camelos como animais de carga nas regiões desérticas do sudoeste. A estrada feita por Beale, mais tarde, se tornaria parte da famosa Rota 66, ícone americano, símbolo e sonho de motociclistas de todo o mundo. Os camelos, bem, provavelmente foram substituídos pelas lendárias motocicletas Harley-Davidson, caminhões Peterbilt, Corvettes e Chargers, mais condizentes com o cenário Norte Americano.

Outras estradas que depois foram incorporadas pela Rota 66:

  • A Lone Star Route passava através de St. Louis e ia de Chicago para Cameron, na Louisiana. No caso desta rodovia, quando da construção da Rota 66 foi adotado um caminho mais curto.

National Old Trail
National Old Trail

  • A Rota 66 usou uma das principais rotas do sistema Ozark Trails, que terminava na National Old Trail ao sul de Las Vegas. Mais uma vez, uma rota mais curta foi usada, desta vez seguindo a Postal Highway entre Oklahoma City e Amarillo, no Texas.
  • Por fim, a Rodovia transcontinental National Old Trail, criada em 1912 tornou-se o resto do percurso até Los Angeles, na Califórnia.

Embora os empresários Cyrus Avery, de Tulsa, Oklahoma e John Woodruff, de Springfield, Missouri mereçam a maior parte do crédito por promover a idéia de uma ligação inter-regional entre Chicago e Los Angeles, seu lobby e seus esforços não foram atendidos. Seu sonho de ligação viária interestadual entre Chicago e Los Angeles somente foi realizado quando suas idéias coincidiram com o plano nacional de rodovias, desenvolvido pelo Governo dos Estados Unidos.

Desde o início os planejadores definiram que aquela rodovia seria construída para conectar as comunidades ao longo de seu curso, uma vez que a maioria delas não possuía acesso viário a outras localidades.

A primeira legislação nacional para rodovias apareceu em 1916, foi revisada em 1921, mas não foi aplicada até o Congresso aprovar uma versão ainda mais abrangente no ano de 1925, quando o governo começou a executar o plano nacional de rodovias. Este plano deu origem, dentre outras, à Rota 66, que recebeu a designação oficial com o número 66 no verão de 1926.

Springfield, Missouri é oficialmente reconhecida como o local de nascimento da Rota 66 e foi ali que as autoridades propuseram, em30 de Abril de 1926, o nome para a rodovia ligando Chicago a Los Angeles. Uma placa comemorativa está colocada na Park Central Square, no centro de Springfield.

A rodovia foi aberta oficialmente ao tráfego em 11 de novembro de 1926, mas placas com seu nome só foram introduzidas a partir do ano seguinte. A partir deste momento, a Rota 66 passou a fazer parte do U.S. Highway System.

A hIstória da Rota 66

Ela iniciava em Chicago, Illinois, passava pelos estados de Missouri, Kansas, Oklahoma, Texas, Novo México, Arizona e terminava na cidade de Santa Mônica, na Califórnia, totalizando 2.451 milhas ou 3.944 km.

Sua pavimentação foi totalmente concluída somente em meados de 1938, com o trecho de Oldham County, no Texas.

Dias de glória da Rota 66

Rota 66

Desde o princípio ela foi reconhecida como uma das principais artérias do país, e o caminho mais usado nas migrações internas dos Estados Unidos, especialmente durante os anos 1930. Foi economicamente muito importante para as comunidades localizadas ao longo de sua extensão. Os comerciantes situados à beira da Rota 66 viram nesta época muita prosperidade, devido à crescente popularidade alcançada pela rodovia.

Durante sua existência, recebeu muitos melhoramentos e mudanças de percurso, que alteraram seu comprimento total. Em 1935,por exemplo, um realinhamento mudou o trecho que passava pelo centro de Los Angeles para mais a oeste, em seu famoso ponto terminal, no Pier de Santa Monica.

route-66-woody

Ao longo dos anos, a Rota 66 recebeu vários cognomes. Logo após a sua construção, ela era conhecida como "A Grande Via Diagonal " porque de Chicago a Oklahoma City a estrada corria do nordeste para sudoeste. Mais tarde, em 1927, a estrada foi anunciada pela U.S. Highway 66 Association como "The Main Street of America" (a principal estrada da América). O título também foi reivindicado pelos defensores da US Route 40, mas o grupo da Rota 66 foi mais bem sucedido.

Ainda no ano de 1927 a rede de postos Philips 66 apropriou os números mágicos em seu logotipo, tornando-se igualmente lendária.

No romance de John Steinbeck "As Vinhas da Ira”, a rodovia é chamada " The Mother Road ", seu título hoje em vigor. No filme de 1940 com o mesmo título desse livro, dirigido por John Ford, apareceu uma placa com o nome The Will Rogers Highway, nome que a U.S. Highway 66 Association nomeou a estrada em 1952. Uma placa dedicando a estrada para Will Rogers ainda está localizada em Santa Monica, Califórnia. Outra placa pode ser encontrada em Galena, Kansas.

Will Rogers – 1879-1935 – ator e comediante foi uma das celebridades mais conhecidas nos Estados Unidos, nas décadas de 1920 e 1930.

A partir de 1942, com a escassez de pneus e combustível devido à guerra, a Rota 66 viveu dias de grandes mudanças. Equipamentos e suprimentos produzidos na California passaram a ser transportada através da rodovia, assim como as tropas militares. O pavimento inadequado, aliado à carência de manutenção dos dias de guerra, tornaram a estrada extremamente precária.

Após a guerra e principalmente a partir dos anos de 1950, a rodovia deixou de ser um caminho para se tornar um destino, com grande promoção publicitária destacando suas belas paisagens, Cavernas, Grutas, Canions e Desertos. Isso aqueceu ainda mais o comércio ao longo da rodovia, que conheceria seus anos mais bem sucedidos.

O ocaso da Rota 66

O começo do fim para o Route 66 surgiu em 1957 com a assinatura da lei das Rodovias Interestaduais pelo presidente Dwight Eisenhower. Ele foi influenciado por suas experiências de oficial do Exército e sua valorização da rede de rodovias alemã Autobahn. Entendia que um sistema Interestadual de rodovias tinha grande valor estratégico, sendo um componente necessário num sistema de defesa nacional. A conclusão do sistema estava prevista para 1972, mas atrasou em 10 anos.

O abandono da Rota 66

Aos poucos a Rota 66 começava a sair de cena, e já em 1970, quase todos os segmentos originais da estrada tinham sido substituídos pelas rodovias modernas, com 4 pistas.

As novas rodovias interestaduais permitiam o deslocamento de uma forma muito mais rápida, cômoda e segura. Com isto a Rota 66 perdeu relevância. O progresso chegara.

No dia 17 de Janeiro de 1977, todas as placas do estado de Illinois foram removidas e a Rota 66 foi totalmente substituída pela I-55 naquele estado. Da mesma forma ocorreu nos outros trechos. Outubro de 1984 marcou a data em que o último trecho de Rota 66 foi substituído por Rodovias Interestaduais, na cidade de Willians, no Arizona.

Em 27 junho de 1985 a Rota 66 deixou de fazer parte do US Highway System. Com isto, a estrada sumiu do mapa, oficialmente. Alguns trechos e cidades desapareceram de fato. A Rota 66 foi substituída pelas Interestaduais 55, 44, 40, 15 e 10.

Morre a estrada, fortifica-se o mito

A Rota 66

A construção das novas vias de trânsito rápido desviou das 217 cidades localizadas às margens da Rota 66 não só o trânsito, mas também o dinheiro que os viajantes deixavam no comércio local, fazendo com que elas ficassem esquecidas por mais de 10 anos após a sua desativação. Foram tempos difíceis, até que surgiu a idéia de convencer as pessoas a relembrarem do sentimento de liberdade idealizado pelos jovens americanos das décadas de 50 e 60, que em seus Cadillacs e motos Harley Davidson, aventuravam-se pelas estradas em busca das praias do Pacífico, deixando de lado os costumes conservadores da costa leste dos Estados Unidos, à procura da ensolarada e liberal Califórnia.

Nascia a “Historic Route 66”. O movimento tinha como objetivo, também, resgatar o turismo feito por famílias, que em suas férias, alugavam trailers para passar juntos dias agradáveis, acampados nos parques estaduais.

Alguns trechos da Rota 66 que passam pelos estados de Illinois, Missouri, New México e Arizona foram então designados “Trechos Pitorescos Nacionais”, com a designação “Histórica Rota 66”, voltando, desta forma, a figurar nos mapas. Alguns trechos na Califórnia foram designados como Rodovia Estadual 66 e outros mantêm sinais e informações como “Histórica Rota 66”.

Motos na Rota 66

Nas cidades, cada uma com seus costumes e tradições diferentes, o turista ou aventureiro, passou a encontrar os tradicionais postos de serviços americanos, com lojas de conveniência repletas de souvenirs e os motéis chamados “Inn”, aqueles pequenos hotéis que vemos nos filmes de Hollywood, onde o hóspede só passa a noite, um descanso merecido, após algumas horas de viagem pela estrada, alguns até temáticos, simulando tendas de índios norte americanos.

Ao longo da estrada são encontrados lugares incríveis, como o Grand Canyon, reservas de autênticos índios americanos, pequenas cidades que recriam as histórias dos cowboys que conquistaram o “velho oeste”, parques nacionais, monumentos históricos, museus, bares temáticos, cidades fantasmas, cidades que o tempo nunca alterou e seus curiosos moradores, sempre com uma boa história para contar.

Robert (Bobby) William Troup, Jr. de Harrisburg, Pennsylvania, escreveu em 1946 um roteiro lírico da estrada, intitulado Get Your Kicks (on Route 66), originalmente gravada pelo trio de Nat King Cole e, posteriormente, por artistas como Chuck Berry , The Rolling Stones, The Manhattan Transfer e Depeche Mode. Uma série de televisão da década de 1960, chamada Rota 66, fez muito sucesso na ocasião. A frase logo se tornou um bordão para milhares de motoristas que viajavam pela rodovia.

Nós brasileiros a conhecemos principalmente a partir do filme “Easy Rider” (Sem Destino), que conta a história de dois hippies em uma viagem com suas Harley-Davidson customizadas. Outro filme que retratou a estrada e fez sucesso por aqui foi a animação Carros, da Disney/Pixar.

Por estas e outras que a Rota 66 está ligada diretamente a um sentimento de liberdade e aventura como nenhuma outra, sendo adotada com muito orgulho pelo povo americano e reconhecida pelo governo como Patrimônio Cultural e Histórico dos Estados Unidos.

Uma viagem de moto em seu antigo leito ajuda a entender como eram e como surgiram os primeiros postos de serviços, os primeiros meios de hospedagem, as primeiras lanchonetes - ela é berço do primeiro Motel e do primeiro McDonald's.

Artigo elaborado por:
Daniel "Zan" de Oliveira Neto com colaboração de Rômulo Provetti

Deixar seu comentário

Postar comentário sem fazer login

0 / 2000 Restrição de Caracter
Seu texto deve conter 5-2000 caracteres

Comentários (15)

Conteúdo relacionado - Artigos

Motociclistas invencíveis

Pra que farol? Farol pra quê?

Motociclistas invencíveis

Estória ou História?

Riders Of Freedom

O nosso DNA no motociclismo

Daniel Zan

Grand Canyon