Viagem em uma motocicleta

Uma terra exótica, mística e encantadora, com remotas vilas nas montanhas, ruínas de construções antigas, lindas praias e espectaculares vistas de montanhas. Agora imagine o quanto é melhor visitar estes lugares em uma motocicleta, com o vento em seu rosto, imagens, sons e cheiros não bloqueados por janelas fechadas.

Você vê as coisas de maneira diferente em uma motocicleta. Não é mais um observador passivo assistindo às cenas que vão passando. Em vez disso, você faz parte da cena. O cheiro acre de madeira que faz cócegas no seu nariz e o ar frio da montanha formigando sua pele. Você levanta os braços e roça a ponta dos seus dedos nos galhos mais baixos das árvores e se extasia com isto.

Uma viagem em uma motocicleta é uma das melhores maneiras de ver um país, especialmente em países com infra-estrutura rodoviária precária. Comparado com o seu homólogo mais glamouroso, é mais fácil para uma motocicleta desviar dos buracos e crateras de estradas mau conservadas que os automóveis. Uma motocicleta também torna mais fácil sair das estradas asfaltadas e explorar estradas de terra estreitas.

E há muito para explorar em países como o Camboja, Laos e Vietnã. O poderoso Angkor Wat, no Camboja, a misteriosa Planície de Jars no Laos e a pitoresca Sapa no Vietnã são apenas algumas das atrações famosas. Há uma abundância de cachoeiras, lagos, rios, águas termais, grutas, montanhas, florestas e templos para manter o viajante ocupado. Esses países do Sudeste Asiático também são abençoados com muita história e cultura.

Devido às barreiras culturais e linguísticas, pode parecer difícil visitar esses países, mais ainda alugar uma moto e viajar pelo seu interior. Mas muitos estrangeiros, inclusive eu, fizeram estas viagens sem grandes problemas. Claro, as motos quebraram e perdemos o caminho de vez em quando. Mas, estes contratempos fazem parte da aventura e você sempre pode depender dos amigáveis habitantes locais​​ que estão armados com uma incrível capacidade de reparar motos e estão sempre dispostos a ajudá-lo, indicando a direção certa.

Fonte: http://www.motorcycl-touring.info/

Última modificação: Ter 17 Jan 2017

Deixar seu comentário

Postar comentário sem fazer login

0 / 2000 Restrição de Caracter
Seu texto deve conter 5-2000 caracteres
  • Jeremias MC Machados&Machados

    O texto e as fotos acima nos aponta lugares, que pelo visto fenomenais, de viagem pelo mundo afora, mas eu queria relatar aqui, que há lugares mais pertinho tão legais e bonitos, e como eles podem mexer com as emoções de uma pessoa, e como que aquilo que está escrito acaba acontecendo.
    Fazia uns 8 anos que eu estava sem pilotar nas duas rodas, motivado por um acidente, e embora da gente não querer ir contra a família, sempre ficava aquela vontade..., que se vai segurando como pode.
    Até que um dia fui a São Paulo com a família e lá, eu vi como os "bandos" de motociclistas "andam", nos corredores de moto no meio dos carros, e como fizeram meio que "na marra" uma interação, uma dinâmica no transito paulista, aquela da gente lá parado e os camaradas motociclistas " se mandando" por entremeio aqueles carros todos.
    Eu confesso; curti aquilo, mas o maior impacto ainda estava por vir, aquele que fez eu retornar ao "Metier" das duas rodas.
    Estávamos de carro na Imigrantes com sentido a Santos, e como naquela época não tínhamos em Minas rodovias de 110 km de velocidade máxima, estava achando aquilo o máximo, quando lá pela altura da represa Billings, vi pelo retrovisor vir vindo uma "tropa" lá atras, e falei pro "meu povo":
    -Olha ai gente!! vem um pessoal ai atrás "esticando o cadarço".
    Eram maquinas esportivas CBF1000, algumas Ninja, mas eu posso ter me enganado porque elas passaram por nós "queimando o asfalto", berrando alto, e do mesmo jeito que aquele grupo se aproximou, sumiu lá pelá estrada. Ali era um retão de vários quilômetros, metade em descida e a outra de subida leve. não deu nem pra nós fazermos a descida e a turma já havia sumido.
    Não fazia ideia, que estava rolando o maior encontro de motoclubes lá em santos, e que o pessoal já estava se deslocando pra lá, isso só foi me ocorrer mais alguns quilômetros à frente, quando a paisagem se tornou deslumbrante, que é quando a Imigrantes chega na serra do mar, e o cenário era espetacular, muita mata, estrada boa, viadutos e pontes enormes e ao fundo o litoral de santos, além é claro dos não menos espetaculares túneis, e foi dentro de um desses que um outro bando passou por nós, estes estavam mais maneiros na velocidade, mas eram super-estilosos, eram os "Harleiros", e cada maquina amigo, cada uma mais bonita que a outra. Com muita disciplina passou o grupo e o barulho;( que aliás vim a saber mais tarde, que não se fala barulho, no tangente as harley se diz "som" ) daquelas maquinas dentro do túnel era MARAVILHOSO, era muita "virulência" para min.
    Ao chegar na praia constatei minha suspeita ao não encontrar lugar para estacionar, estava tudo tomado pelas motos, eram quarteirões inteiros só de motos estacionadas, e todas no maior "brinco":
    -Então meu amigo, foi muita a pressão, a praia foi até boa mas de volta em BH, tive que contrariar a família. Comprei uma moto e finquei de vez, a minha bandeira do motociclismo.

Conteúdo relacionado - Artigos

Motociclistas invencíveis

Finalmente... Paz no Trânsito!

Motociclistas invencíveis

Dia "D" A Guerra e o Enigma