Viagem de moto até Ushuaia Argentina

‘Eu vou’! Em 2008, quando decidi o destino da viagem de férias, realizada em abril de 2009, não imaginava as emoções, as reflexões e os imprevistos que viveria em 24 dias de aventuras. Tudo bem, não era uma viagenzinha qualquer: a ideia era percorrer 6 mil km até Ushuaia, cidade da Argentina e ponto extremo sul das Américas – e claro, outros 6 mil km voltando. Ah, sim, um pequeno detalhe: tudo sozinho e a bordo de uma moto Tornado XR 250, apesar de possuir também uma Harley Davidson Sportster 883R.

Acho que a condição obrigatória para se sentir um motociclista completo, realizado, é fazer uma viagem de moto até Ushuaia.

Encarei pelo caminho ventos que superavam tranquilamente os 70 km/h, tempestade de areia no deserto da Patagônia, nuvem de gafanhotos no Rio Grande do Sul, chuvas fortes, pistas irregulares e escorregadias por conta da neve e um frio de rachar, com temperaturas bem abaixo de zero grau deram um clima especial à viagem.

Por umas quatro vezes pensei em desistir, a última delas a apenas 16 km do destino final. Cheguei a imbicar a moto na direção contrária, mas sempre pensava no que já tinha passado até ali. E 12 dias depois da partida, na tarde do domingo de Páscoa cheguei a Ushuaia, um lugar com uma paisagem inacreditável, com a Cordilheira dos Andes emoldurando a cidade. Naquele momento, quando vi aquela paisagem, bateu uma sensação de que tudo valeu a pena.

Aos 51 anos, classifico a aventura como a realização de um grande sonho: “Acho que a melhor forma de se viver é realizando sonhos pessoais. E essa viagem me marcou muito. Trouxe comigo lembranças, experiências e muitas histórias para contar, que vou carregar comigo para o resto de minha vida. Acho que isso é viver”.

Penso que a melhor moto para se realizar uma grande viagem é a moto em boas condições de uso. Não importa o tamanho. Há algumas considerações que devem ser feitas, como por exemplo:

  • A marca Honda tem uma grande rede de concessionárias e isso pode lhe ser útil em caso de pane;
  • Uma moto de baixa cilindrada rende pouco, mas tem ótima autonomia. Isso no deserto conta e muito;
  • Empurrar uma Titan (125cc) que pesa um pouco mais de 100 quilos é bem mais fácil do que uma Harley que supera facilmente 300 quilos;
  • Qualquer mecânico mexe em uma Hondinha. Já uma Harley, BMW, Triumph, entre outras ... vai arriscar ?
  • Você está passeando, então, não há pressa. Não há a necessidade de altas velocidades e sua moto pequena te proporciona exatamente o que você precisa. Pense nisso.