Motociclistas invencíveis

Cruel Insensibilidade

Na trajetória de volta para o Rio de Janeiro, colocamos gasolina na moto com os últimos Cr$40,00 (cruzeiros) que tínhamos e continuamos pela estrada Rio-Bahia com chuva. Chuva essa que já está chateando muito. Ela está tão insistente e intensa, que a caatinga agora era só água, tendo lugares onde a estrada, por ficar mais alta, ajudava a formar lagos em ambos os lados. E sobre a água deste lago só se vê um pouco da copa das pequenas árvores e arbustos, antes marrons quando nós passamos na ida, agora na volta encontravam-se verdinhas.

Radares Inteligentes

Por ser um veterano motociclista estradeiro, agora aposentado mas ainda pilotando uma gostosa motocicleta de 250cc, venho acompanhando as muitas alterações que o trânsito vem sofrendo no decorrer do tempo. Transformações que estão acontecendo infelizmente para pior em razão do crescente número de veículos; na maior velocidade neles imprimida, seja nas estradas ou dentro das cidades, ambas com pisos mal conservados; ficando ainda pior pelo fato de haver imprudência, negligência e imperícia por parte de muitos dos seus condutores, o que motiva as autoridades a criarem constantemente novas leis e valerem-se de modernos mecanismos para pacificar o grande e violento trânsito que diuturnamente nós, todos nós, somos obrigados a enfrentar nas grandes cidades e estradas do nosso país.

Motociclista audaz

Uma 'pilota' radical, mas que raciocina bem, é inteligente e audaciosa. Após ter lido o livro de minha autoria, Motociclistas Invencíveis, a veia estradeira da professora de matemática e motociclista Lisiane Flores Pletiskaitz, de Fortaliza, CE, sangrou e, para estancá-la, "bolou" fazer uma viagem ainda inédita no motociclismo brasileiro, talvez mundial.

Vai viajar? Cuidado com os objetos!!!

Essa afirmação que faço tem seu fundo de razão, pois baseia-se em experiências pelas quais já passei nas várias viagens que fiz com motocicletas estrada afora.

As mais estranhas experiências ocorreram numa mesma viagem, acontecendo o primeiro caso ainda no Rio de Janeiro e o segundo no interior da Bahia, ambos por perda de objetos, e foi assim:

EU NÃO POSSO!!!

Um grupo de motociclistas, que também eram ótimos patinadores, após terem inaugurado rinque de patinação (a convite do Prefeito) construído na várzea, em Teresópolis, vez por outra iam lá para fazerem algumas apresentações, incrementando assim o esporte no bairro.

Isso aconteceu nos anos 50... Tem pouco tempo, não???

Motoqueiro, eu? Não! Nada disso

No Brasil o motoclismo começou como prática meramente esportiva, voltada unicamente para passeios, jornadas e competições, porém as motocicletas eram todas importadas por não haver fabricação por aqui.

Devido a existência dessa modalidade surgiu naquela ocasião o Moto Clube de Campos-RJ (o mais antigo Moto Clube do Brasil), que tinha por finalidade promover encontros e reuniões sociais com esses motociclistas amadores.

Motociclistas

Existe diferença entre eles? Pergunto...

Claro que há, respondo!

Enquanto uns utilizam motos para lazer, outros as usam como meio de  transporte, havendo inclusive uma parcela bastante significativa que busca sua sobrevivência exercendo atividade comercial.

Vias Públicas

Ruas, avenidas e estradas, deveriam ser locais para transitarmos com segurança e tranquilidade. Não é verdade?

Um cidadão que vai ou vem do trabalho, seja no seu veículo particular (que poderá ser carro ou motocicleta), ou até mesmo num coletivo público, terá ele segurança e certeza que chegará bem ao seu destino?

Fator Emocional

Conforme estabelecido em lei, somente através de curso feitos em Moto escolas e posterior aprovação no órgão competente, será possível obter-se carteira (carta) de habilitação.

Acontece porém que essas Moto escolas em razão do rigoroso cumprimento da lei, ministram aos seus alunos apenas a parte prática e teórica na condução das motocicletas.

Motociclista Sonhador

Existe uma história, ocorrida num hospital com muitas enfermarias e um quarto com apenas duas camas, exclusivamente para doentes terminais. E dessas duas camas lá existentes, somente uma delas ficava junto à única janela que havia nesse quarto.

E estando a cama próxima à janela já ocupada por um motociclista com grave enfermidade, o outro doente que acabara de chegar, somente para ela poderá ir após o falecimento daquele que a estava utilizando. Então, a cama que esse recém-chegado iria ocupar ficava no fundo do quarto, onde só havia móveis e paredes.

Conteúdo relacionado - Artigos

Motociclistas invencíveis

Motociclistas

História da Motocicleta

A história da Harley-Davidson Fat Boy

Motociclistas invencíveis

Pelo Cemitério... Não!!!

Riders Of Freedom

Teoria da Relatividade