Motociclistas invencíveis

Colors: Yellow Color

Mini-moto colocada no container para ser lançada de paraquedas

Seis brasileiros, alguns deles bons motociclistas, vão para os EUA e alistam-se na divisão de paraquedismo das Forças Armadas americanas, onde passam a fazer parte de um “comando especial” e são treinados para executarem missões utilizando mini-motocicletas, lançadas nos campos de batalha de aviões. Entrando os EUA na 2ª Guerra Mundial eles são enviados para a frente de batalha na Europa a fim de juntarem-se às forças Aliadas e combater os alemães que levavam perigosa vantagem.

Transporte é uma das necessidades básicas que todo e qualquer cidadão tem para poder ir ao seu trabalho e ao seu lazer.

Acontece porém que o trânsito está violento, quase que caótico com muitos acidentes, vários deles graves, e alguns até fatais.

E por quê isso vem acontecendo? Alguns motivos posso afirmar:

Tradicionalmente esta revista vem colaborando para que haja paz no trânsito. Na busca desse objetivo, ela procura esclarecer e orientar motociclistas para que tenham o devido cuidado e respeito quando estiverem utilizando suas motos e evitem que o pior lhes aconteça, ou que eles próprios causem problemas a terceiros inocentes.

Há tempos vem sendo discutida uma delicada questão: "Corredor para motos transitarem, é legal, ou não?".

Alguns dizem não ser permitido, outros afirmam ser tolerado. Mas nessa estapafúrdia confusão do "parece que não sei", motociclistas ficam preocupados e com isso prejudicados.

Acontece finalmente no Brasil a vontade na sua moralização. Fato há muito tempo desejado e esperado pelo povo honesto que trabalha, contribui e cumpre com suas obrigações. Temos acompanhado o Supremo Tribunal Federal mostrar que leis ainda funcionam e aquele que não cumpri-las será agora apenado, seja ele quem for, inclusive posição ou poder que tiver.

Tomamos conhecimento através da mídia sobre a importante declaração de um major da PMRJ que garantiu que os mototaxistas da Rocinha estão finalmente livres da submissão e exploração a que estavam submetidos por traficantes e milicianos que se julgavam 'donos do pedaço'.

A Motocicleta

Era uma motocicleta inglesa de 500cc, dois cilindros, ano 1956. Uma verdadeira "deusa". Há porém um importante detalhe a ser destacado, que é o seguinte:

Ao adquirir essa nova moto, logo de início passei a admirá-la por sentir sua passiva obediência aos meus comandos. E tão especial se tornou, que nos integramos completamente passando a ser um parte do outro.

Como consequência da terrível indisciplina e dos insistentes abusos às regras de trânsito provocadas pelos condutores de veículos, com sérios riscos às suas vidas e também à dos pedestres, várias medidas restritivas vêm sendo tomadas pelos legisladores com o objetivo de discipliná-lo, tornando-o mais racional e humano.

Acompanhando as conquistas que mulheres vêm obtendo nos vários segmentos da sociedade, seja na intelectualidade, na política, esportes e principalmente na atividade que sempre apreciei, motociclismo, parabenizo-as por isso.

Se enfatizei 'motociclismo' prende-se ao fato da minha condição de veterano motociclista, que viu toda transformação ocorrida desde quando as mulheres eram somente garupas, até agora, quando finalmente conquistaram o banco do piloto.

A história de uma aventura radical realizada há mais de 50 anos atrás onde o piloto protagonista, resolve pegar a Rodovia Rio-Bahia (na época conhecida como estrada da morte) para ir nordeste acima por mais de 40 dias, percorrendo milhares de quilômetros.

Ele, carioca, queria encontrar em Itabuna-BA uma linda mulher que ocasionalmente namorara no Rio de Janeiro e que, repentinamente e sem qualquer explicação, desaparecera misteriosamente, talvez retornando à sua cidade de origem, Itabuna.

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.