Dicas para garupas em viagem de moto

Muito já se escreveu sobre condução de motocicletas, mas pouco se fala de um assunto muito importante no moto turismo que é sobre o (a) garupa. Se for um (uma) garupa com pouca experiência, é fundamental antes de tudo que se segure bem e seja orientado (a) sobre a melhor forma de se comportar e agir sobre uma moto durante um simples passeio ou uma longa viagem de moto por vários países.

Tentarei relacionar a seguir as mais importantes dicas para que ocorra sempre uma boa relação entre piloto e garupa, proporcionando uma viagem tranquila para ambos:

  1. Nunca subir ou descer da moto, sem prévio conhecimento do piloto. Pode desequilibrar a motocicleta, sobretudo se o piso for irregular, se o piloto tem perna curta, ou se a moto estiver carregada.
  2. Ajudar nas manobras de entrada e saída de estacionamento, sobretudo se é necessário manobrar de ré.
  3. Se a moto estiver em deslocamento, evitar movimentos bruscos, inclusive virando a cabeça para trás.
  4. O (a) garupa é o (a) tesoureiro (a) no que toca ao pagamento de pedágios. Deve ter sempre nos bolsos os recursos necessários para a próxima praça de pedágios.
  5. Da mesma forma, deve ser a navegador (a) com atenção a desvios, sinalização e se possível, atenção ao GPS.
  6. O (a) garupa pode ajudar nas curvas, apoiando-se fortemente em ambas as pedaleiras. A transferência de peso para as pedaleiras torna a moto mais estável e manobrável.
  7. Pela mesma razão, deve-se apoiar mais fortemente nas pedaleiras quando a moto circular, devagar, em meio ao trânsito.
  8. Quando circulando em piso irregular, é importante apoiar-se nas pedaleiras, evitando com isso choques na coluna.
  9. Não adormecer nunca.
  10. Nas arrancadas e freadas deve apoiar-se nos suportes e não no condutor.
  11. Nas paradas, não colocar os pés no chão antes da orientação do piloto, pois em vez de ajudar, poderá desequilibrar a moto.
  12. Em velocidade, ou se está ventando, juntar-se o mais possível ao corpo do condutor, evitando assim a oscilação.
  13. É rigorosamente proibido olhar para o velocímetro e expressar a sua aprovação ou reprovação com apertos de joelhos ou tapas nas costas do condutor.
  14. Não esquecer que a partir dos 70-80 km/h acaba a conversa, pois o vento não deixa.
  15. Quando se circula a mais de 150 km/h, não se deve acenar aos outros motociclistas, sob pena de deslocar um braço.

Essas são apenas algumas regras básicas para que o (a) garupa não só aproveite uma viagem de moto, mas seja um (a) companhia que ajude na pilotagem. Apenas com o passar dos anos e uma boa quilometragem rodada juntos é que se chega a uma perfeita parceria para as viagens.

Otavio Araujo – Gugu – Taubaté - 75 anos - motociclista desde 1958

Comentários (2)

This comment was minimized by the moderator on the site

Gostaria de algumas dicas, me passe seu email.

This comment was minimized by the moderator on the site

Excelente e opotuno texto!

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

  1. Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Caracteres
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.

Livros sobre viagens pela América do Sul e Himalaia