Acabei de chegar de uma viagem solo de 10.246 km por 5 países. Revi muitos lugares bacanas, encontrei diversos motociclistas viajando e fiz diversas amizades/contatos. Mas durante uma longa viagem como esta, que dura em torno de 20 dias, lubrificar a corrente da moto duas vezes ao dia é trabalhoso quando se viaja solo, como é o meu caso.

Desde que comprei a primeira Varadero, em 2007, criei um sistema de lubrificação muito simples e rápido onde em cerca de dois minutos, sozinho, faço este trabalho.

Divulgando meu sistema posso ajudar outros motociclistas em viagem.

Vejo o pessoal sofrendo com essas motos pesadas, cheias de bolsas ou alforjes e um dia tive uma idéia que considero o “Ovo de Colombo”...

O meu sistema é muito simples, ninguém conhece.

Manutenção da moto
Uma pequena régua de madeira cortada e ajustada no tamanho exato para manter a roda traseira a pelo menos 2 cm do chão

Manutenção da moto
Com a mão direita empurro levemente a moto para o lado do cavalete lateral

Manutenção da moto
Quando a roda traseira levanta do chão, simplesmente agacho e apoio a régua na balança

Manutenção da moto
A moto fica com a roda traseira livre para ser lubrificada e bem apoiada em 3 pontos: no descanso; na roda dianteira; e, na régua

Manutenção da moto
Com uma bisnaga usada de colírio/soro nasal com óleo de câmbio tipo mineral 90, facilmente rodo o pneu com uma mão e com a outra aplico o óleo. Em menos de um minuto tenho a corrente bem lubrificada

Otavio Araujo – Gugu, empresário, 69 anos, motociclista há mais de 50.
Atualmente rodando de Honda Varadero XLV 1000.
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Comentários (36)

This comment was minimized by the moderator on the site

Tenho uma bigtrail com relação por corrente, pinhão e cremalheira. Estou planejando uma viagem solo de 15 mil km por 4 países. Minhas dúvidas são:

* De quanto em quanto km devo lubrificar a corrente e limpar?

* Em cada lubrificação devo antes limpar a corrente?

* Posso apenas lubrificar a corrente e deixar pra limpá-la em casa, na volta?

* O que devo levar para manutenção da moto além de filtros de óleo, fluido lubrificador de corrente, kit reparador de pneus sem câmara?

* Devo levar um kit completo, novo, da relação por precaução?

Obrigado !

João Gomes
jggb@hotmail.com

This comment was minimized by the moderator on the site

Boa tarde Gugu;
Sou o velho Barbão, embora bem mais curta, branca e rala, ainda serve como alcunha de um engenheiro, que agora debilitado por um acidente de trabalho e automobilístico.
Há poucos dias, tive uma conversa com o médico que está encarregado de fazer as cirurgias em meu joelho, e este sujeito teve o disparate de perguntar se o meu acidente foi de moto, ao saber que não foi com motocicleta, mas alem de ter e adorar motos, o infeliz teve a cara de pau para comentar que se fosse para andar novamente de moto, nem faria a cirurgia.
Sou leitor da sua coluna, neste veiculo e já tive a oportunidade de ler matérias suas em outros veículos, desta forma solicito a sua opinião.
Desde já agradeço a sua atenção.
Antonio Cardeal,
Em tempo, temos minha esposa e eu, uma Suzuki Bandit 1250 S.

This comment was minimized by the moderator on the site

já fiz muito isso tb. agora comprei um descanso bi-lateral do Manivela que ajuda muito na hora de lubrificar a corrente, mas é válido esse seu sistema tb, forte abraço e saudações estradeiras.

This comment was minimized by the moderator on the site

muito bom...quando for viajar me avisa

This comment was minimized by the moderator on the site

legal esta dica.valeu!!!

This comment was minimized by the moderator on the site

Bom dia pessoal, já viram o vídeo explicativo sobre o Molysil? Esta bem interessante. Segue: http://www.youtube.com/watch?v=1HYVZe2o-MQ

This comment was minimized by the moderator on the site

Tenho uma xt660r e sempre foi difícil colocar óleo na corrente,mas com essa dica valiosa e simples facilitou o cuidado com a corrente valeu.vou passar adiante essa dica.

This comment was minimized by the moderator on the site

muito bom, gostei muito da dica valeu. abraços - Paipai desgarrados MC

This comment was minimized by the moderator on the site

Parabéns!!! Pela criatividade e por compartilhar sua ideia com os outros. Abraço

This comment was minimized by the moderator on the site

Otávio. Parabéns pela iniciativa de divulgar suas experíências. vou adotar este procedimento para lubrificar a corrente da minha moto. Um grande abraço e obrigado !!!

This comment was minimized by the moderator on the site

Sr. Otávio. Fico muito grato por esta orientação. tenho moto a 20 anos mas não dava muita atenção a esta necessidade de lubrificar a corrente. agora vou adotar estas dicas. muito obrigado amigo.
J. Santino

This comment was minimized by the moderator on the site

Muito obrigado por universalizar seu método.

This comment was minimized by the moderator on the site

Oi Otávio! gostei da sua dica de levantar a roda! mas gostaria de acrescentar algo; a corrente na verdade é lubrificada de fábrica e é blindada; o que você faz na verdade é transformar a corrente em um coletor de terra e areia que são altamente abrasivos, portanto a corrente a coroa e o pinhão devem ser bem lavados e lubrificados com grafite ou silicone que secam e não ficam colhendo poeira.

This comment was minimized by the moderator on the site

Eu ainda estava em vias de comprar uma moto quando um amigo me enviou o link desse post. Gostei, favoritei para não esquecer. Depois que recebi a moto voltei a ler e estava pensando em como obter uma reguinha dessas (madeira, tamanho, etc.) Um dia, sem mais nem menos, na calçada em frente ao prédio onde moro, encontrei jogada uma reguinha exatamente igual a essa da primeira foto, irmã gêmea... Peguei e fui experimentar a altura: parecia feita sob medida! Coloco de modo a deixar o pneu elevado apenas 1 cm do chão. É o suficiente para fazer a roda girar e se por acaso se deslocar, não vai provocar a queda da moto.
Isso foi em dezembro/2011. Já usei muitas vezes desde então, sem nenhum problema. Grande dica! Obrigado.

É uma falta de respeito para muitos motociclistas, as fábricas por economia e estética, alijarem da motocicleta o cavalete central e a caixa de ferramentas básicas, tão útil para manutenção da corrente, troca ou reparo do pneu,retirar uma vela defeituosa ou inspeção básica na motocicleta.
O fabricante visa economia, alguma razão para baixar o centro de gravidade da moto, no entanto compromete muito o conforto do motociclista que faz manutenção preventiva de sua máquina ou um socorro emergente quando só em uma estrada deserta, ou mesmo em pista asfaltada. Falta no mercado uma máquina simples com uma cilindrada de 500 centímetros cúbicos, uma Twin paralela justaposta no estilo da Norton 961cc, porém com pneus mais estreitos, suspensão e freio com menor dimensionamento e de menor custo, no estilo da própria, com para-lamas envolventes contra água de chuva em pista asfáltica ou de barro, com um mínimo de luxo, porém eficiente e economica para virar o mundo com pouco peso e uma potência de no máximo 50 cavalos. Assim não temos que segurar um elefante em estradas ruins, ter um tanque com capacidade máxima de 16 litros para não aumentar o peso suspenso. Pneus com bainha anti perfurante do tipo kevlar para blindagem contra tiros moldado no aro. Assim rodaremos o mundo sem nos preocuparmos com furos em pneus.Precisamos da sensatez dos anos dourados de 50 até quase o final de 60 em que os fabricantes utilizavam as próprias máquinas que produziam, porém com a tecnologia atual. Uma correia de borracha protegida contra sujidades poderia tracionar a roda motora, como nas Harleys com peso muito grande.

This comment was minimized by the moderator on the site

Obrigado Professor!
Vou repassar esta boa idéia. Corrente lubrificada direto e reto.

This comment was minimized by the moderator on the site

É uma otm idéia,eu uso um pedaço de cabo de vassoura. Como a força é exercida de cima para baixo, a madeira não precisa ser muito resistente, mas deve ser muito bem travada no chão. Cuidado especial se colocar em pisos muito lisos, onde pode escorregar e derrubar a moto...vc pode estar emabixo.

This comment was minimized by the moderator on the site

Luiz Carlos, legal sua história. A principal diferença de hoje em relação à época que você viajava de moto é que o número de caminhões e automóveis na estrada aumentou muito, estão cada vez mais rápidos e muitos são imprudentes. Com uma moto 125 é bom você ir tranquilo, parando com frequencia para descansar.
Dê uma navegada em nossa seção de dicas http://viagemdemoto.com/dicas-para-viagens(clique neste link).
Precisando de alguma orientação, estamos à disposição.
Abraços

This comment was minimized by the moderator on the site

Saldanha, na minha opinião deve ser uma régua de madeira com elevada resistência mecânica, principalmente à compressão: peroba rosa, angelim, angico, timborana, pau roxo, etc. Normalmente são usadas na construção para fabricar vigas e caibros. Vá a uma marcenaria que eles devem te fornecer uma. Abraços

This comment was minimized by the moderator on the site

Boa tarde,Sr. Otavio! Obrigado pela dica,gostaria de saber mais sobre suas viagens solo. Eu tenho uma experiência com viagens,solo,de moto,entretanto a minha moto era uma CG 125cc 1988,eu era caixeiro viajante,representante comercial,e fazia na época,4 regiões do Estado de Minas Gerais,Zona da Mata Mineira,Vale do Aço e Belo Horizonte e o Sul de Minas. No Estado de São Paulo fazia a Serra,Águas de Lindóia,Serra Negra,descia para o Vale do Paraíba,vinha até o Rio de Janeiro,capital,e daí ia rumo a reguão serrana e norte Fluminense,atravessava o Rio Itabapoana entrando no Estado do Espírito Santo(Todo ele). Passava o tempo todo viajando,pois a CG 125 cc,não desenvolvia muito,viajava uma base de 70 à 90 Km/h. Todavia economizava muito,mas muito mesmo no combustível. O que possibilitava o custo da viagem. Viajei de moto de 1990 a 1995. Hoje eu tenho uma Fan 125cc e gostaria de fazer uma viagem de moto,não mais para cobrir todo este setor,mas um passeio,um percurso de lazer e naõ de trabalho,agradeço,se o senhor puder me dá uma dicas. Grato Luiz Carlos Cavalieri

This comment was minimized by the moderator on the site

Obrigado pela dica e pelo compartilhamento da experiência . Tenho uma Transalp , qual a relação de peso que a régua deve ter e qual a Madeira que utiliza para evitar quebrar

This comment was minimized by the moderator on the site

Gostei da dica,já está armazenado no meu HD. Abrços

This comment was minimized by the moderator on the site

Ei amigo, vou fazer minha primeira viagem solo, gostaria se possível que vc me desse algumas dicas especificas de uma viagem assim...e como foi essa experiencia de viajar sozinho...abs!!! Osvaldo Paris

This comment was minimized by the moderator on the site

Ele usa um GPS Garmin Zumo, que já vem com o suporte e cabo de alimentação.

This comment was minimized by the moderator on the site

Como vc adaptou o GPS do guidão? tenho um XRE com istalação(eletrica) mas a fixaÇÃO dele ainda não consegui. pode dar a dica.

This comment was minimized by the moderator on the site

Legal Gugu, sua idéia pode sim ajudar muita gente em transito! Parabenssss! Abração!

This comment was minimized by the moderator on the site

Valeu a dica Gugu, vou experimentar na minha Transalp.

This comment was minimized by the moderator on the site

Para viagens muito longas, se for "apenas" lubrificar a corrente o problema, poderiam utilizar como solução: http://www.jokermotorcycles.com.br/para-moto-relacao-correntes-universal-system-scottoiler-p-754.html seria mais útil, exceto se precisar esticar a corrente...

This comment was minimized by the moderator on the site

Gugu, nao existe cavalete central pra sua moto? acho legal a ideia pra quem ainda nao tem esse aparato, mas pra um quebra guelho vale muito apena!!!!

This comment was minimized by the moderator on the site

Obrigado Otávio por compartilhar. Também opero uma Varadero, de 2006, e esta sua ideia é uma excelente e prática maneira para manter a corrente em otimas condicoes de operação.

This comment was minimized by the moderator on the site

Também tenho uma Varadero de 2006, e esta sua ideia é uma excelente e prática sugestão para manter a corrente em boas condições operacionais.

This comment was minimized by the moderator on the site

Importante seguir a recomendação do fabricante que sempre manda colocar óleo mineral 90 na corrente. Graxa não serve, não lubrifica direito e junta areia. Os sprays se evaporam com o calor e a corrente fica seca, são bons para os fabricantes ganharem dinheiro, Um litro de óleo de cambio mineral 90 custa R$ 25,00 e dura mais de um ano lubrificando toda semana. Rodei com uma Kawasaki KLR 64.000 sem trocar a relação, não só pela qualidade do material como pelos constantes cuidados que sempre tive. Com esse sistema rodo tranquilo com a Varadero até 1.000 km/dia lubrificando 2 ou 3 vezes. Boa sorte a todos, Gugu

This comment was minimized by the moderator on the site

só existe um lubrificante bom: é o Zahnrad spray, alemão, não solta e suja tua camisa,como o óleo. não junta arei, como a graxa; agora, não sei onde encontrar

This comment was minimized by the moderator on the site

Gde Gugu!! SAbias informações e dicas. Obrigado por partilha-las conosco.

This comment was minimized by the moderator on the site

Show de bola!!!!!

This comment was minimized by the moderator on the site

tenho uma honda xre e sempre tive de fica mudando a moto de lugar para ir pondo a graxa agora essa sistema realmente simples ajuda muito. Valeu pela dica

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

  1. Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Characters
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.