Entrar

Na solidão

  • Categoria: Caetano De Genaro
Texto sobre motociclismo

Na solidão do capacete as idéias se arranjam. O ruído constante e monótono dos quilômetros se sucedendo torna-se silêncio, ignorado... As paisagens vão sendo registradas no subconsciente, comparadas com tantas já vistas e arquivadas na memória. A toada constante e segura, a visão dos companheiros adiante e no retrovisor, as respostas precisas da máquina, tudo vai se tornando calma e a mente divaga... A pilotagem é Zen.

Num momento impreciso estou fervendo, defendendo ou renegando minhas próprias atitudes e pensamentos com uma honestidade que talvez não tivesse sequer diante de Deus. Estou passando a limpo...

Assuntos do passado, presente e futuro se mesclam e se completam. As luzes de freio do caminhão à minha frete piscam e a resposta é imediata. Estou no controle ! Acelero e ultrapasso.

Eu e minha garupa somos dois corpos colados e não obstante isso viajamos separados. Estamos sós, por detrás de nossos olhos e entre nossos ouvidos abafados. Quando paramos pra reabastecer nos damos conta disso. São viagens diferentes...

Apesar disso, uma bela montanha surge destacando-se na paisagem. Reduzo a marcha. Minha companheira capta automaticamente essa informação, saca da câmera e captura a foto. Estamos em sintonia. É a mesma viagem !

As horas passam e a chuva fina incomoda. Repenso as botas mais baratas, recalculo o orçamento e justifico a decisão. Me absolvo. Tolero a chuva que afinal nem é tanta e até já parou.

Lembro-me da rotina que deixei pra trás, dos compromissos e das pessoas. Forço-me a esquecer. Será que chegaremos à pousada antes do anoitecer ?

E assim a estrada passa, nas paradas algum alívio, café e prosa,. Na sequência o dia se esvai e o destino chega.

Os amigos se cumprimentam pela etapa vencida, entre risos as conexões se restabelecem, detalhes ajustados, a fome é saciada.

O cansaço se mostra após o relaxamento do banho depurador.

Me entrego àquela cama estranha e comum, ao abraço mais confortável e quente.

Mas o Sol não tarda, outra etapa aguarda. Em poucos minutos o sono embaça a mente.

Na solidão do travesseiro as idéias se apagam...

Comentários (5)

  1. Ludgero Reis

Realidade viva, situação de aproxima ao distantes motociclistas que amam a estrada, realidade verdadeira, amei o texto.

  1. Wellington Rocha

Incrível como algumas adversidades de se viajar de moto me conduz ainda mais a querer isso para mim

  1. Diego Barbosa Duarte

Muito muito Bacana. <br />Pra viajar igual a vc só preciso de uma "companheira" Rs<br />abraço

  1. Silvio - Lins/SP

Lendo este texto, percebo que sou normal... não sou o único a ter estes sentimentos... Na verdade, sei que somos muitos a tê-los.

  1. Elmoto Viagens e Motociclismo

Cara o texto é realmente muito bonito. De muito bom gosto. Parabéns.....

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Characters
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização