O objetivo do dia era chegar a Dharanshala para visitar o Tsuglagkhang Complex, onde fica a residência do Dalai Lama. A distância de onde estava era de pouco mais de 200 km, mas como teria que contornar as montanhas do Himalaia por estradas estreitas e de manutenção precária. A viagem não parecia simples.

E não foi. Saí tarde de Manali, porque tive que esperar uma casa de câmbio abrir para trocar dólar por rúpias. Acabou que elas abririam após 10h e acabei desistindo e fui para a estrada, que como esperava, era muito precária, com asfalto precisando de reparos, em boa parte estreita e com alguns trechos espaço para apenas um veículo, curvas e mais curvas mal feitas e grande movimento de motos, carros e caminhões.

Numa dessas curvas, eu estava atrás de um ônibus esperando uma oportunidade de passar quando veio um pequeno Suzuki Maruti que me ultrapassou buzinando e quando estava ao lado do ônibus veio um carro no sentido contrário e os dois quase se chocaram de frente. Na direção ia um velhinho de turbante e barba branca. Mas não foi o único quase acidente durante a viagem. Outros momentos tensos aconteceram por conta da imprudência dos motoristas.

Eu seguia viagem tranquilo e muito atento para o que vinha em sentido contrário, principalmente nas curvas.

Diferente das montanhas no meio do Himalaia, agora eu passava por uma região mais densamente povoada, o que reduzia consideravelmente a velocidade com a qual eu viajava. Havia muitas vilas ao longo da estrada esburacada e cheia de irregularidades.

Viagem de moto pela Índia - Dharanshala

Eu não levava GPS ou mapa e tinha o percurso que deveria seguir na cabeça. Sabia as cidades que deveria passar. Uma delas era Kullu, que aparecia de vez em quando em placas de indicação de distância. Depois da cidade de Naggar e antes de chegar a Kullu, cheguei a uma bifurcação em Y e a sinalização do lugar era em hindi. Peguei uma das estradas que achava que seria a correta e, mais à frente, parei para perguntar para alguns rapazes. Apesar deles não falarem inglês, consegui que me compreendessem falando o nome das cidades de Kullu e Mandi, uma grande cidade do percurso. Estava no caminho errado, mas tive que voltar apenas alguns poucos quilômetros.

Passei por um longo túnel onde havia vacas andando no escuro e colocando em risco os usuários da via. Logo depois parei para fotografar macacos que estavam à beira da estrada. Aproveitei para trocar a jaqueta para a de verão, porque o calor agora era intenso. Enquanto trocava a jaqueta, um casal que tinha encontrado no Rohtang Pass no dia anterior e que viajava com a filhinha de colo, com os quais tinha tirado fotos, parou para me cumprimentar. eles seguiam para Délhi.

Parei em frente a um bonito templo hindu e tirei várias fotos.

Cerca de 15 km depois de Mandi a estrada melhorou muito, mas foram apenas 5 km de via duplicada e asfalto novo.

Nesse trecho as placas com distância começaram a me confundir e eu acabei trocando o nome de uma das cidades pelas quais deveria passar por outra mais distante, mas isso não atrapalhou a viagem e só errei mais uma vez o caminho.

Parei em uma barraca em uma vila à beira da estrada e comi um pão frito com recheio de batata. O rapaz fritava o pão em uma grande panela cheia de óleo escuro e deixava o alimento escorrendo sobre jornais. Apesar disso, estava gostoso. Almoço por apenas 0,16 dólares.

Viagem de moto pela Índia - Dharanshala

Quando passava por um trecho da estrada que cortava uma mata, vi uma grande quantidade de macacos. Parei mais à frente para fotografar e acabei assistindo ao atropelamento de um filhote. Ocorreu uma grande confusão e um grande macho saiu da mata e avançou na minha direção gritando. Saí do lugar muito rápido.

Cheguei a Dharanshala pouco depois das 5 horas da tarde. Passei em frente a um prédio onde estava escrito Centro de Turismo e resolvi parar para pedir indicação de hotel, mas apesar de aberto não havia ninguém para atender. Um senhor me disse que atendiam somente até às 5 da tarde. Um rapaz que estava em uma moto em frente perguntou se estava procurando hospedagem. Respondi que sim e me disse que tinha um quarto em um hostel. O preço era bom. Pediu que o seguisse, mas o lugar era fora da cidade e não tinha acesso à internet. Agradeci e procurei um hotel próximo ao centro.

Jantei uma pizza (estava com saudades) em uma loja do Domino's próximo ao hotel.

Comentários (0)

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

  1. Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Characters
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização