Entrar

4º dia - La Paz (BOL) a Puno (PE)

Este seria o primeiro dia de passeios durante o meu roteiro pela Bolivia. Já cedo saí em busca de combustível e consegui encontrar na ruta 3, que dá acesso à Estrada da Morte, também conhecida como "Camino de los Yungas", que inicia em Coroico e tem 35 km de extensão.

Abastecido, desci a ruta 3 que é uma estrada bem asfaltada e fazia muito frio. Enfrentei curvas fechadas pois queria subir a Estrada da Morte e não fazer como a maioria que desce por ela. Depois de 93 km eu cheguei ao inicio do "Camino" que chegou a matar duas pessoas por dia na época que era a principal ligação do norte com La Paz. Já de cara saí de 4500 msnm para 1700 metros e comecei a sentir o calor da Floresta Amazônica boliviana. Achei o inicio da estrada e comecei a subir. Realmente, “los Yungas” é impressionante. Penhascos que não dava para ver onde terminam. Depois de muitas fotos e vídeos, ao subir, percebi que muitos descem por ela de bicicleta, estilo downhill, mas não no horário que eu estava lá, que era por volta das 10h.

Na placa que atribui seu nome, há um posto de pedágio da comunidade, fiquei chateado por cobrarem para rodar nessa via, mas paguei algo em torno de 10 reais. Tomei uma chuveirada numa cachoeira e segui para Tihuanacu para visitar os sítios arqueológicos de Tihuanacu e Puma Punku. Sempre assisto nos canais a cabo os mistérios sobre as origens do lugar. Adorei. Realmente é místico e, claro, pago. R$ 40,00 para visitar todos, já que ficam relativamente perto um do outro. O Clima é seco e a altitude parou de me atormentar pois já estava acostumado.

Depois de centenas de fotos fui à fronteira com o Peru e fiquei 2 horas na aduana boliviana para poder sair e ingressar naquele país. Ao atravessar a ponte, fui à aduana peruana e fiquei 1 hora na fila para carimbarem e os aduaneiros peruanos, com fama de nojentos, mostraram suas caras. Ficaram embaçando com minha moto e não permitiram que eu entrasse sem um seguro, um lixo me orientou a fazer o seguro na cidade e só havia um lugar para fazer. Fui meio que forçado a contratar, sempre com o papo de que sem seguro tinha que voltar para a Bolívia. A seguradora não fez por menos e vendeu somente para 12 meses a um custo de U$74,00. Reclamei um monte, mas tive que pagar esse roubo. O aduaneiro ainda ficou relutante em me liberar, mas por fim liberou. Fui embora muito puto, com uma raiva enorme e só fui me acalmar no hotel em Puno. Para completar, assim que eu parei ao Chegar ao hotel, a moto tombou.

Viagem de moto Tenere Bolivia Peru

Foram 453 km percorridos no dia.

Comentários (0)

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Characters
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização