Em Puno, pelo equivalente a R$ 16,00 contratamos um serviço de turismo para visitar as ilhas que incluiu o transporte do hotel até o porto onde pegamos um barco que nos levou para conhecer as ilhas dos Uros. O serviço incluiu também um guia e todo o percurso de retorno.

E aconteceu tudo como planejado. As ilhas ficam no Titicaca, o lago navegável mais alto do mundo e tem uma história muito interessante. Os Uros eram um povo que vivia na região antes dos Inkas, que no seu apogeu começou a conquistar todos os povos da região andina. Para fugir do jugo inka, eles foram para o Titicaca e construíram barcos utilizando um vegetal que existe em grande quantidade no lago e tem a propriedade de flutuar, chamado totora. Os barcos, que abrigavam uma família inteira e tinha até uma pequena casa, deixou-os longe do alcance dos inkas, mas tinha pouca durabilidade. Eles então começaram a utilizar a raiz da totora, que tem maior durabilidade e também flutua e cobriram grandes blocos de raiz com a folha da totora, criando um tipo de ilha flutuante. E assim surgiu um modo de vida deste povo que dura séculos.

Os Uros sobrevivem da pesca, da caça, da criação de animais e da venda de artesanato para os turistas que visitam suas ilhas. Cada ilha tem em média seis famílias e 25 pessoas. Existem algumas dezenas de ilhas na Baía de Puno que se preparam para receber os turistas, fazendo uma grande festa para os barcos que se aproximam. É feito um rodízio para que todas as ilhas recebam os barcos no intervalo de alguns dias.

Assim que terminou o passeio, por volta de 13 horas, pegamos nossas coisas, colocamos nas motos e fomos para a estrada em direção a Desaguadero, na divisa do Peru com a Bolívia. A estrada estava em bom estado e por cerca de 150 km margeia o Lago Titicaca (para ter uma idéia do tamanho do lago). O tempo estava bom quando saímos de Puno mas antes de chegar na fronteira, começamos a ver ao longe algumas nuvens muito escuras. A temperatura, que estava agradável até então caiu drasticamente quando as nuvens cobriram o sol. Paramos para colocar os forros e foi uma dificuldade, porque ventava muito e estava muito frio. Pouco depois começou a chover, uma chuva fina e fria que nos transmitiu uma sensação térmica de alguns graus negativos.

Quando chegamos na fronteira parou de chover. Já havia falado para o Marcelo preparar para pagar uma propina, mas para nossa surpresa o serviço foi rápido, os oficiais, tanto da migração quanto da aduana não colocaram qualquer dificuldade. 

Trocamos Dólar por Boliviano antes da aduana e seguimos pela avenida que começa na fronteira. De repente acaba o calçamento e começa uma estrada de terra com lama e muitos buracos. Antes de continuar paramos para pedir informação e nos indicaram que o caminho a seguir era aquele mesmo. Mas como? Eu pesquisei antes e segundo apurei a estrada até Potosí era de asfalto e bom... Seguimos em frente assim mesmo. Rodamos uns 500 metros e a rua terminava na verdadeira estrada... Devemos ter pegado algum atalho...

Rodamos pouco mais de um quilômetro de vimos uma barreira policial que nos indicou o acostamento para parar. Paramos e ficamos aguardando, mas nenhum dos policiais veio conversar conosco. Ai eu lembrei de ter lido que se deve dirigir para o posto policial com os documentos na mão, muita paciência e um trocado. E foi dito e feito. Um policial anotou os dados da moto e nossos em um grande caderno. No final foi direto: cinco Bolivianos para cada um (R$ 1,25). Pagamos e fomos liberados com desejo de boa viagem.

A estrada que pegamos está muito boa, com algumas imperfeições e buracos (poucos) até La Paz. Na medida em que fomos nos aproximando desta cidade começamos a avistar uma cadeia de montanhas à nossa esquerda com uma série de picos nevados formando uma linda paisagem. Imagina que numa região na mesma latitude do sul da Bahia temos frio próximo de zero e montanhas nevadas, e em pleno verão...

Havíamos combinado de tentar adiantar ao máximo a viagem até Potosí, nos hospedando em alguma cidade no caminho. As opções eram La Paz ou Oruro, um pouco mais distante, mas como começava a anoitecer resolvemos ficar em La Paz.

Você acha que sua cidade tem um trânsito estressante? Então percorra as avenidas e ruas desta cidade e você vai começar a achar que sua cidade tem um trânsito muito calmo. O transporte público é feito por milhares de vâns e micro ônibus, que parecem todos conduzidos por motoristas sem habilitação que se acham donos das ruas. Buzinam o tempo todo, param no meio da rua ou mudam de faixa sem se importar se está atrapalhando ou colocando em risco outras pessoas. E as ruas são cheias de buraco (tá, as ruas das cidades brasileiras também estão muito esburacadas), são mal iluminadas e não tem nenhuma placa indicando nada. Coisa de maluco. Mais malucos ainda nós que chegamos na cidade sem GPS (pifou) e só com o nome e endereço de um hotel para hospedar, sem termos feito reserva. Custamos, mas conseguimos na base do pedido de informação e de muita buzinada no ouvido.

estamos hospedados em um hotel bem simples, antigo e bem melhor que o de Marcapata, que não sai da cabeça. Depois daquele nosso nível de exigência baixou muito...

Números do dia:

Distância: 252 km
Consumo: 23,25 l
Média de 24,09 km / l
Preço médio: R$ 1,40 / l
Gasto combustível: R$ 32,66
Total percorrido: 5.488 km
Hospedagem: R$ 63,49
Jantar: R$ 6,49
Passeio: R$ 16,00

Comentários (22)

  1. André

Amigo, o nome do hotel, por favor.
Abraço

  1. Rômulo Provetti    André

André, não lembro o nome de todos os hotéis. Utilize o Booking.com para pesquisar hotéis de acordo com suas preferências.

  1. pedro da silva filho

Rômulo
Continuo acompanhando os diários, e torcendo para que continue tudo sob o controle de vocês, mesmo nas adversidades.
As fotos estão lindíssimas, e concordo com o colega que sugere uma exposição futuramente.

  1. Dilermando

Rômulo,
Estou acompanhando sua viagem e torço pelo seu sucesso, que belas histórias terá para contar.
Um grande abraço e boa viagem
Dilermando

  1. Jurian

nota 10 pelos comentários, dicas e organização, estamos torcendo para que esta expedição seja um sucesso.
Parabéns.
Família Gameleira Hotel.
www.gameleirahotel.com.br

  1. FABIANO TRIBESS

VIAGEM MARAVILHOSA, PARABENS!
COMO ESSE MUNDAO E LINDO!!

  1. WERNECK SOUTO

ROMULO E MARCELO.
ESTOU IMPRESSIONADO COM A QUALIDADE FOTOGRAFICA DE SUA EXPEDIÇAO. VELE A PENA FAZER UMA FUTURA EXPOSICAO.
ALEM DO MAIS VOCES ESTAO ME ENCORAJANDO FAZER A MESMA VIAGEM.
ABRAÇOS E BOA VIAGEM, WERNEK

  1. Renata

Sabemos que é preciso muita disposição para, depois pilotar uma moto o dia todo e chegar cansado ao seu destino, baixar fotos e criar um texto interessante para que os internautas viajem na sua viagem.
Acompanhamos os relatos cheios de entusiasmo!
Em breve estaremos seguindo os seus passos.
Uma boa viagem...
Estamos aguardando ansiosos os próximos capítulos.
Um grande abraço,
Re e Mo.

  1. Julio

Belas fotos, muito boa narrativa.
aguardamos o próximo capitulo, com ou sem emoção,
abcs,

  1. PHD Pitz

Lugares e fotos bonitas. Conjunto pilotos/máquinas fantásticos. Textos maravilhosos. Parabéns!! Continuamos na garupa de vcs. Bons passeios. Boa viagem.

  1. Godoi

Quem me dera ter a saúde e a idade de vocês...
Lindas fotos, belos textos, grandes motos...
Que bom poder fazer uma aventura destas... Estou acompanhando e curtindo a beleza e os desafios da jornada, parabéns...Godoi.

  1. Alfredo Biduzidos

Rômulo e Marcelo, estou curtindo demais a aventura de vocês, parabéns e obrigado pela divulgação.

  1. juca

Amigos, com estas fotos e com um belo relato estou viajando ao lado de voces.
Aproveitem, que Deus os acompanhe.
juca

  1. mauricio de sousa

É RAPAZES - VOCÊS ESTÃO ENFRENTANDO UMA PROVA DE FOGO.
MAS COMO DIZ O DITO: O OURO SE PROVA NO FOGO OU NO CRISOL.
PARABÉNS MARCELO E ROMULO

Parabéns, Rômulo.
Vc está se saindo um contista de mão cheia. Literalmente estou viajando com vocês.
Que Deus continue os protegendo.
Saudações estradeiras.
Cel Guilherme - Águia de Aço

  1. Jucelino Muniz de Oliveira

Rômulo e Marcelo,
parabéns, aproveitem e façam uma viagem segura! Esta é sem duvida, a viagem dos sonhos de muitos. Vocês são privilegiados!
Boa viagem!

  1. Alvaro Filgueiras

Continuem passeando e nos aqui trabalhando, muito legal, tenho acompanhado diariamente.Me parce que agora é só alegria. Abraços (Não esqueçam de verificar as pastilhas)

  1. Sérgio Modesto

Que viagem maravilhosa, sem falar nas fotos dos Uros, perfeitas e mostram a simplicidade e ao mesmo tempo a vaidade deste povo, muita cor e muito cuidado com os detalhes, tanto das roupas quanto dos barcos e casas.
Parabéns aos dois, fiquem com Deus.

  1. Samir Sadem

Ola Romulo
Estou acompanhando sua expediçao. maravilhoso. Me faz relembrar meus 17 anos quando trilhei como muchileiro por 60 dias estes lados .
Se ainda estiver na Bolivia/La Paz nao deixe de conhecer o Vale de la Luna deve ficar uns 10 Km de La Paz
Grande abraço e sucesso na jornada

  1. Emerson A

Por enquanto ainda não perdi nem um capitulo desta novela, e com certeza vou acompanhar até o final !!!
Parabéns !!!

  1. JF

Caro Rômulo,
Tem sido uma satisfação para mim acompanhar seu relato sobre essa viagem belíssima.
Parabéns a vc. e ao Marcelo!!!!

  1. Jacqueline Lipovetsky

Que viagem maravilhosa. Tá dando gosto acompanhar os textos postados. As fotos então...sem comentários...cada foto, cada lugar mais lindo que o outro.
Abs e continuem tendo uma ótima viagem.

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Characters
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização