Viagem de Moto Viagem de Moto Inspirando viajantes

Alma de Condor

Embarque da moto para Panama CityOlá pessoal!

Olha, que dia difícil hoje. Ainda bem que estava mais descansado.

Chegar até o aeroporto já foi difícil. Não há muitas placas e o transito é um inferno. Encontrar a empresa de transporte Air CargoPack foi mais difícil ainda. É uma empresa pequena, não tem nem placa com o nome na frente, e fica dentro de um terminal, junto com outras tantas. Mas depois de quase duas horas tentando aqui e ali, com a moto e os bauletos, encontrei-a e dei sorte de falar direto com o dono.

Puxa, consegui chegar em Bogotá, a última cidade na América do Sul nessa rota.

São já 9.700 km e hoje o 17o dia da viagem. A moto está bem, e eu também, embora acho que tenha emagrecido. Nem lembro muito de comer.

A chegada em Bogotá foi bem difícil. Vim de um trecho de 600 km a partir de Popayan, o último pouso, e cheguei às 5 horas da tarde local, num trânsito absolutamente infernal. Como a moto está com os bauletos laterais, eu não posso andar como uma moto, então é danado de ruim. Tem que ter paciência, e eu tenho, mas o cansaço é a armadilha. Fiquei uma hora e pouco nesse trânsito e consegui chegar sozinho ao centro da cidade, mas não achava hotel.

Popayan a Cali - 280km. Cali a Bogotá - 320kmOlá caríssimos!

Cheguei a Bogotá, finalmente. A Colômbia até aqui não me pareceu nada assim muito diferente nem complicado. O país é até bem parecido com o Brasil, o povo principalmente. Aqui também se empolgam muito com a viagem e a moto. Os preços são baratos (1 dólar são 1820 pesos colombianos). Pra se ter uma ideia, em Popayàn paguei 20.000 pesos por uma diária de um bom hotel.

Abismos e paisagens fantsticas para Pasto ColômbiaColômbia finalmente! Desta vez não me escapou, como em 2009.

A cidade é Popayán, no centro sul, e é claro no meio de muitas montanhas. Estou de novo num centro histórico, bem legal, de arquitetura pobre, todas as casas iguais e branquinhas, mas muito autêntico.

Não consegui ligar. Os telefones não aceitam aqueles números. Estou numa lan house.

07-08-2012 Pegando táxi triciclo. 2 pesosCheguei há pouco em Quito, capital do Equador. Fiz uma viagem curta, mas difícil, porque foram 500 km em curvas, atravessando cidades. Estou meio cansadão hoje, acho que pelo esforço de ontem. Hoje foram 8 horas de viagem. A cordilheira aqui é bonita, mas nada como o trecho entre Cuzco e Nazca. Esperava que fosse mais fácil de entender Quito (2 milhões de habitantes), mas tudo é muito grande aqui e, assim como em Lima, pedi ajuda de um taxista e cheguei a Av. Mariscal, onde fica a turistada, e que, junto com o centro histórico, é o lugar pra se ficar. Como já tive a dose ontem de centro histórico, e acredito que nada possa se comparar com Cuenca, então vim para cá. São poucas quadras. Fora disso não vou conhecer nada que não vai dar tempo. A Mitad del Mundo vai ficar pra outra. Em Roraima já conheci a divisa exata entre os hemisférios.

Vulcão Tungurahua perto de QuitoCheguei a Quito hoje. Cidade grande é F... Mas estou num bairro legal.

Recapitulando um pouco ... A partir de Lima é que tomei a Panamericana rumo ao norte. Ela leva até o Alaska, mas vai se modificando e se perdendo por aí, entre as cidades e paises.

De Lima ao Norte foram mais 1300 km de deserto, uma paisagem monótona mas bonita. Passei por cidade grandes, Chimbote, Trujillo, Chiclayo. Em cada cidade, trânsito e calor, enxame daquele táxis triciclo adaptados de motos 125. A oeste sempre o Pacífico. Quando o ar esquenta, sopra um puta vento dali, que atrapalha bem e que vai soprando areia das dunas para o lado do deserto.

EstradaOutra vez não consegui ligar ainda. A ligação a cobrar não se faz aqui nos telefonos públicos.

Cheguei bem em Cuenca, uma cidade histórica no coração do Equador, muito linda. Veja na internet. É acolhedora e estou num hotel do jeito que eu queria, por setenta reais, bem aconchegante, com café, e a moto está no saguão de novo. Foi dia difícil. Três horas só pra passar nos tramites de saída do Peru e entrada no Equador. Muito calor no Peru, litoral, e depois muita serra, tráfego e curvas na cordilheira onde estou outra vez, só que no Equador. Aqui a moeda é o dólar. V'Strom e eu na intimidade, parceiros totais em curvas e ultrapassagens. Hoje tive que forçar um pouco mais, por causa do pouco tempo. Amanhã vou a Quito. Não estou muito atrasado. A viagem foi dura. Dez horas sem banheiro, comer nem pensar. Vivo das emoções das carreteras, eheheh. 

A caminho de Piura norte do PeruPessoal, estou no extremo norte do Peru!!

Hoje fiz 1010 km desde Lima, em 11 horas de viagem. O que economizei ontem no pulgueiro de Lima, estou gastando hoje num super hotel na Plaza de Armas de Piura. Nem era a cidade que eu iria ficar - era Sullana -, mas a noite chegou e eu fiquei uns 20 km antes. Hoje é a última noite no Peru. Amanhã estarei no Equador, se Deus quiser.

Desculpem, uma pena que não consegui falar pelo telefone.

Hoje escrevo de Lima. Estou numa pequena ilha de tranquilidade, numa lan house. A cidade é infernal. Cercada de favelas que sobem as montanhas de areia. O trânsito é muito congestionado e eles buzinam o tempo inteiro enquanto os guardas apitam pra tudo também.

Aqui só tem duas coisas: o centro histórico e o bairro de Miraflores. Consegui sozinho encontrar o centro histórico, mas rodei, rodei e não via hotel nenhum. Então pedi a um taxista para me guiar até um hotel. Até ele demorou pra encontrar um, e foi fora do centro histórico, porque ele disse que eu precisava de uma garagem, e que ali não tinha.

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.