alt


Ambato – Quito (Parcial = 148 Km / Total = 7.854 Km)

Partimos de Ambato, às 08:50 h, com tempo nublado e escoltados pelo PHD Jorge Boada. Em poucos minutos paramos em uma lanchonete, onde estavam nos esperando os PHD Vinny “Biker” Cifuentes, Peter Juris e Santiago Herrera. Após as apresentações e os abraços de costume, pegamos a estrada, rumo a Quito.

À 2.600 m de altitude, em retas e curvas, o Vinny enroscava o acelerador e a moto do Edinho, se arrastando, ficava sempre para trás.

Saímos da pista e fomos visitar o cultivo de rosas do Vinny. Mas, havia uma pequenina e estreita ponte de madeira no caminho. A maledita deu um estresse na rapaziada, mas compensou conhecer as belíssimas rosas, que são exportadas para Europa e para os EUA.

O Edinho recebeu de presente uma rosa lilás que é a preferência da rapaziada descolada de San Francisco – USA.

Chegando a Quito, seguimos diretamente para a oficina Clínica de Motos (Eddy Urgiles: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. / 2454-793 / 099712 230), indicada pelo Vinny. Em seguida, fomos para o Hostal Villa Nancy (Andrés Aguirre: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.), reservada pelo PHD Lutz. Um bom apartamento para três com café da manhã e garage para as motos, US$ 70.00. Fomos almoçar num local de peixes e o Edinho pediu outra vez Ceviche e eu um risoto de camarão.

À tarde, o Edinho já estava passando mal; provavelmente, infecção intestinal. Quanto a mim, uma leve diarreia começou a me incomodar.

À noite, na companhia do Vinny com esposa, Peter e esposa, Patricio Lópes com sua namorada e Lutz com Susana, fomos até a cidade velha para conhecer vários locais e prédios históricos, considerados pela UNESCO como patrimônio da humanidade. O estado de conservação e a beleza dos prédios centenários são deslumbrantes e a iluminação abundante e colorida de toda a cidade velha é impressionante e não deixa nada a desejar.

Em seguida, fomos jantar em um restaurante que fica em um local muito alto, onde tem uma grande estátua de Nossa Senhora Alada. O cansaço e o sono eram tanto, que não nos permitiram nem conversar.


PHD Artur Albuquerque
Fonte: http://phdalaska.hwbrasil.com/site/ e http://www.phd-br.com.br/

Comentários (0)

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

  1. Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Caracteres
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.

Livros sobre viagens pela América do Sul e Himalaia