Viagem de Moto Viagem de Moto Inspirando viajantes

A marcha para o Oeste

Mais um desafio vencido: três cateterismos a 4.300 metros de altitude !

A Marcha para o OesteMeus amigos, ontem levei a Helô para uma manutenção básica. Enquanto esperava, vi um prospecto sobre uma promoção do "dealer": quem fosse até o topo da Pikes Peak Mount pela Highway de mesmo nome, ganharia uma t-shirt comemorativa ao trazer uma foto comprovando o fato.

Prorroguei o hotel, acordei mais cedo, banho caprichado, barba feita com o cavanhaque cuidadosamente aparado, uma conversinha de pé de ouvido com a Helô, onde confessei a ela que tinha dúvidas apenas em relação a mim, afinal, são 14.200 pés, mas se eu sentisse que iria complicar, voltaria imediatamente.

Garden of the Gods

A Marcha para o OesteNo inicio dos anos 1900, um comerciante que negociava com os índios e tinha um posto de troca chamado "Gods Trading Post" resolveu reforma-lo à semelhança das habitações dos índios Pueblo. Além disso, incorporou toda a área em torno, com sua topografia peculiar, onde pedras erodidas pelo vento por milênios formavam perfis que despertavam a curiosidade dos visitantes dando-lhe o nome de "Garden of the Gods Trading Post".

A Marcha para o OesteHoje cheguei a Cañon City, depois de uma viagem por uma longa e monótona Highway. Como cheguei cedo, fui procurar a estação de trem. Ao entrar numa rua sossegada, vejo um veado calmamente pastando no jardim de uma casa. Parei a moto, sem desligar o motor, consegui pegar a câmera fotográfica que estava no bagageiro e, usando o zoom pela primeira vez (dá pra perceber, né) consegui fazer as fotos antes que ele fosse para a parte de trás da casa. Todos respeitam os bichos e procuram não assusta-los. Em Pikes Peak Mountain consegui filmar um que pastava à beira da estrada. Por isso, acho muito perigoso o excesso de velocidade em áreas que são o habitat deles, é muito comum vê-los cruzando as estradas com a família.

Cañon City (CO) - Leadville (CO) 31 de julho de 2013

Marcha para o OesteNa saida de Cañon City existe um museu penitenciário bem próximo ao hotel em que fiquei e é, na realidade, uma ala desativada do presídio a que fica colado. Evitei o quanto pude, mas na hora de ir embora a curiosidade falou mais alto, principalmente pela boa vontade da recepcionista, que abriu o museu mais cedo por minha causa. Claro que isso me preocupou, quem sabe ela não estava pensando que eu era alguma peça que ganhou um fim de semana de folga e estava na hora de voltar?

Leadville (CO) - Silt (CO)

Marcha para o OesteASPEN (CO) - Engraçado que Aspen não estava nos meus planos (a bem da verdade eu não tenho planos) e a ideia era sair de Leadsville e ir para Boulder por estradas secundárias, mas depois da "vaca" de ontem, resolvi que Aspen seria um desafio à altura do momento pelo qual eu passava. Nada como seguir a intuição.

A estrada é cinematográfica, uma serra sem acostamento e guard-rails que isso é coisa de coxinha. Ângulo de subida pronunciado, curvas em cotovelo e uma pista estreita que mal dá para dois carros. Mas o visual é lindíssimo, apesar do perigo que representa uma pequena distração naquelas condições. Só quando a paisagem estava na minha frente é que eu arriscava uma olhadinha.

Silt (CO) - Green River (UT)

Marcha para o OesteA viagem começou com o termômetro da moto marcando quase 43 graus Celsius.

Apesar de ir por uma Highway, a I-70, nessa parte do estado ela atravessa uma região lindíssima, correndo ao longo do rio Colorado, entre paredes de rocha e acompanhando o traçado sinuoso do rio. Uma pena que o acostamento é mínimo, o que não permite fazer as fotos que gostaríamos, o risco de multa é muito alto.

Green River - Archs National Park 4 de agosto de 2013

Marcha para o OesteHoje resolvi passar o dia rodando no Arches National Park, que dista cerca de 50 milhas do meu hotel. Foi uma sábia decisão. Voltei para o hotel cansado, mas satisfeito com tudo o que vi e pelos locais em que passei.

A entrada do parque é vedada a carros comerciais, além de ser paga: moto, 5 obamas, mas é valido por uma semana. O Visitor Center, como todos aqui na terra de Marlboro, é coisa de profissionais, tem um anfiteatro com sessões de 30 minutos, com filmes didáticos sobre a história do parque.

Green River (UT) - Monticello (UT)

Marcha para o OesteHoje, aproveitando que fica no caminho, foi dia de conhecer o Canyonland National Park, em Moab.

Acordei cedo, para meus padrões, fiz o check-out e montei a tralha na moto, pois depois do parque seguiria meu roteiro e fui em busca da estrada. Encontrei-a bem rápido: ela passa em frente a meu hotel, e já merece uma nota bem alta e com louvor. Poucos carros, muitas curvas em subidas e descidas e uma paisagem de tirar o fôlego. Pena que era curtinha, umas 25 milhas até o Visitor Center, mas também, depois que você entra no parque, as alternativas de vistas são sensacionais. Na realidade você está sobre um enorme platô, onde a estrada circula-o totalmente, permitindo diferentes ângulos de observação.

Monticello (UT) - Kayenta (AR)

Marcha para o OesteHoje pela manhã, debaixo de um baita frio e uma chuva fina, saí de Monticello sem saber muito bem para onde ir. Todas as cidades na direção de Kayenta (Arizona) estavam sem vagas nos hotéis. O problema é que eu queria conhecer a região de Mexican Hat e resolvi me mandar assim mesmo, pois nem todos os hotéis são cadastrados no Booking e Hotwire, principalmente as espeluncas (minha especialidade).

Parei em Blanding para o café da manhã e estudei os mapas, pois desconfio muito desse tal de GPS. Anotei num pedaço de papel a numeração das estradas e desliguei o GPS para economizar bateria e minha paciência com aquela mulher maluca falando "- Wrong way, wrong way, wrong way...". Um porre !

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.