Se me perguntassem no início acreditar que passaria por todos os lugares pelos quais passei, imediatamente diria que não. Até agora, estou processando e a ficha só começou a cair na Florida, quando o Rodrigo Cabral falou-me que, provavelmente, estive em mais estados americanos do que a maioria dos que aqui residem.

Ao todo foram 25 estados, sendo que em dois, Montana e Alabama, as distâncias percorridas foram muito pequenas.

A relação e a sequência da passagem pelos estados (em alguns entrei e sai duas vezes) foi a seguinte:

  • Virginia
  • North Carolina
  • Tennessee
  • West Virginia
  • Kentucy
  • Missouri
  • Oklahoma
  • Texas
  • New Mexico
  • Colorado
  • Utah
  • Arizona
  • Nevada
  • California
  • Idaho
  • Wyoming
  • Montana
  • South Dakota
  • Nebraska
  • Kansas
  • Arkansas
  • Mississippi
  • Louisiana
  • Alabama
  • Florida

Algumas das fotos feitas nas divisas (só deixei de fotografar quatro por falta de acostamento).

Além do aprendizado que uma viagem como essa proporciona, o mais especial foi conhecer pessoas maravilhosas que, destituídas de preconceitos de qualquer natureza, tratavam-me como irmão. Esse foi, na minha opinião, o maior retorno que alguém, longe de seu país, poderia ter. O carinho e a atenção com que todos me cercavam deixavam-me emocionado e acreditando no ser humano.

Não tenho fotos de todos com quem, por um momento que seja, estabeleci relações fraternais, mas todos passaram a fazer parte de minhas melhores lembranças:

O privilégio de ter acesso a locais maravilhosos tornaram, a mim e à Helô, parte integrante de verdadeiros cartões postais:

Para aqueles que gostam de números, comprei a moto com 36.300 milhas em maio de 2013 na cidade de Fairfax (Virginia) e quando terminei a viagem, em 13 de setembro, ela tinha rodado 12.040 milhas, isso representa cerca de 20.000 Km.

Estados Unidos

Estados Unidos

Quase não pegamos chuvas, mas em compensação, as temperaturas eram altíssimas, chegando a 45 graus nos desertos de Mojave e de Nevada, o que causava um desgaste físico tremendo, obrigando-me a começar a viagem bem cedo e, a partir das 10 horas, parar com uma frequência maior para descanso e hidratação.

Sinceramente e sem nenhuma falsa modéstia, não penso que tenha realizado nenhuma façanha merecedora de registros, além desses que posto para minha família e meus amigos, afinal de contas, a única coisa que fiz foi pilotar uma motocicleta maravilhosa que, como já falei anteriormente, é a melhor coisa que se pode fazer vestido.

Estados Unidos