9º dia - Chuí - Colônia del Sacramento

Depois tomar o café da manhã, arrumei a bagagem na moto e segui viagem. Antes passei na avenida principal da cidade para trocar os Reais que tinha por Pesos. Foi fácil achar uma casa de câmbio. Como não havia em Chuí caixa eletrônico do banco que sou cliente, eu tinha apenas R$ 200 no bolso, mas resolvi seguir somente com esse valor mesmo.

Perguntei ao rapaz da casa de câmbio onde conseguiria contratar a carta verde. Ele me indicou um lugar, mas não consegui achar. Resolvi seguir para a aduana sem ela. Passei tranquilo e não me pediram o documento.

A estrada até próximo à entrada para Punta del Este é simples, mas com pouco movimento, asfalto bom e longas retas. A partir daí até Montevidéo é uma auto estrada de primeira, com duas pistas muito boas em cada sentido. Depois de Montevidéo ela alterna pista duplicada e simples, mas sempre com movimento pequeno de automóveis e mínimo de caminhões. Isto tudo contribuiu para a viagem com a moto render bem.

Apesar de nuvens escuras me acompanharem durante quase todo o percurso, peguei apenas um pouco de chuva na estrada e muito rápida, que nem molhou direito. A temperatura caiu, o que me fez usar a jaqueta de couro pela primeira vez durante a viagem.

Passei por Montevidéo rapidamente para tirar umas fotos na cidade, que já conhecia de uma viagem anterior que havia feito, mas não de moto. Resolvi não passar por Punta porque também já conhecia.

O Uruguai já é um país civilizado, ao contrário da Argentina e Bolívia, todos os postos e estabelecimentos comerciais que passei aceitam cartão de crédito, de modo que acabei nem gastando os pesos que tinha no bolso. Para quem entra no país a partir do Chuí, atenção que o primeiro posto de combustível fica mais de 100 km depois da fronteira. Como o Uruguai é pouco povoado, boa parte da viagem passa por lugares sem nenhuma cidade por perto.

Cheguei a Colônia del Sacramento antes das 16 horas. Encontrei um bom hotel chamado Beltran, existe desde 1873 na avenida principal, próximo aos restaurantes e à parte histórica que é a principal atração da cidade. Passeei até o fim do dia pela cidade que é realmente linda, muito arborizada, prédios conservados, ruas limpas, povo educado, famílias e grupos de jovens se reunindo nas praças na beira do mar para tomar um mate e pescar, confirmando todas as indicações que havia recebido que valia a pena visitar a cidade.

O Uruguai quase foi um estado brasileiro e Colônia del Sacramento teve um paepl muito importante na história do país. A cidade foi fundada pelos portugueses em 1680, fica defronte a Buenos Aires e mudou de posse entre portugueses e espanhóis várias vezes, até a independência do Uruguai em 1828.

Mais tarde comi mais uma picanha deliciosa. Choveu bastante à noite.

Números do dia

Distância percorrida: 533 km

Abstecimentos:

Rocha
591, 10 pesos - R$ 61,30
14,14 litros
41,8 pesos / litro - R$ 4,33
235,4 km
16,65 km / l

Montevidéo
524,50 pesos - R$ 54,39
12,086 litros
43,40 pesos / litro - R$ 4,50
220,3 km
18,23 km / l

Lanche: 81,00 pesos - R$ 8,40

Passeio farol: R$ 20,00 pesos - R$ 2,07

Jantar: 604,00 pesos - R$ 62,63

Hospedagem: USD 70 - R$ 175,39

Última modificação: Ter 31 Jan 2017

Deixar seu comentário

Postar comentário sem fazer login

0 / 2000 Restrição de Caracter
Seu texto deve conter 5-2000 caracteres