2º dia - Angra dos Reis - Taubaté

Rio Santos 05

No segundo dia eu rodei pouco, foram 276 km apenas. E confirmei que a Rodovia Rio Santos faz juz à fama, é realmente muito bonita mesmo, principalmente para uma viagem de moto.

Saí de Angra cedo, peguei a estrada, que no princípio estava com irregularidades no asfalto, mas não vi nenhum buraco. No início ela  estava bastante movimentada, com muitos carros, ônibus e caminhões, mas depois passei por muito poucos carros, quase nenhum caminhão.

Desagradável foi a forma como dois motoristas se comportaram na estrada, dirigindo de forma agressiva, colaram na traseira da minha moto enquanto eu esperava uma oportunidade para ultrapassar um caminhão, deixei que passassem e roguei para que Deus os proteja e, principalmente, proteja os demais usuários da via da imbecilidade desses maus motoristas.

Passei por Paraty, passeei a pé pelas ruas da cidade, tirei muitas fotos, fiz um lanche, comprei barras de cereais e água em um supermercado e voltei para a estrada.

Na medida em que me afastei de Angra o piso virou um tapete. O tempo estava ótimo na parte da manhã, nublado e com temperatura agradável. Até chegar a Ubatuba caiu uma leve garoa, que não chegou a atrapalhar. Mas em Ubatuba o céu desabou. Tentei seguir um pouco, mas desisti, parei em uma proteção de um restaurante à beira da estrada e esperei a chuva diminuir. Peguei a SP-125, que corta o Parque Estadual da Serra do Mar. Muuuuitas curvas, uma neblina muuuito forte, chuva fina. A neblina ficou tão forte que em um momento comecei a ficar com dificuldade de enxergar à frente e pensei que a viseira havia embaçado, levantei a viseira e continuei enxergando mal. Algumas curvas tinha que fazer com primeira marcha engatada e segurando na embreagem. Apesar das placas proibindo trânsito de caminhões e ônibus, passei por três caminhões circulando pela estrada. Numa curva, muito perigosa, um deles deve ter deixado um pouco de óleo na pista molhada, pois a moto saiu de traseira de repente, me dando um grande susto. Sorte que estava muito devagar.

Depois que passei pela Serra, o tempo abriu e cheguei com tranquilidade em Taubaté, onde visitei meu amigo até então virtual, Otávio Araújo, o Gugu e sua esposa Márcia, que me receberam para um delicioso jantar à luz de velas, muito chique. Ele me convidou para acompanhá-lo amanhã de volta a Ubatuba para um passeio em sua lancha.

Estou hospedado no hotel SG Plaza, um bom hotel. Mas tive dificuldade de encontrar vaga, passei por dois hotéis antes que estavam lotados.

Números do dia

Distãncia percorrida: 276 km

Abastecimento - Paraty:
R$ 38,47
11,220 litros
201,8 km
R$ 3,429 / l
17,99 km / l

Lanches e almoço = R$ 39,60

Hospedagem - R$ 125,00

Deixar seu comentário

Postar comentário sem fazer login

0 / 2000 Restrição de Caracter
Seu texto deve conter 5-2000 caracteres

Conteúdo relacionado - Viagens pelo Brasil